Jovem tem rosto quebrado depois de ataque homofóbico

Jovem tem rosto quebrado depois de ataque homofóbico

Ele teve um osso da face quebrado, além de ferimentos nos braços e na barriga.

Após sair da boate The Week, na Lapa, zona oeste de São Paulo, o gerente de tecnologia da informação P.R., 32, foi, segundo ele --que pede para não se identificar--, espancado por dois homens armados com pedaços de ferro, na madrugada de domingo.

O gerente, que é gay, diz ter sido vítima de homofobia.

Ele teve um osso da face quebrado, além de ferimentos nos braços e na barriga.

O caso ocorreu próximo à TV Cultura, na rua Emílio Goeldi --ponto de encontro de gays e travestis na Água Branca, na zona oeste.

P.R. diz que conversava com um amigo quando quatro homens saíram de dois veículos gritando: "Sai daqui, a gente vai te matar, seus veados".

Um rapaz que estava no local correu até uma lanchonete e chamou a polícia. P.R. foi cercado na esquina da r. Emílio Goeldi com a av. Ermano Marchetti e diz que foi agredido por dois dos homens com os pedaços de ferro, socos e chutes no rosto e no abdome.

Um funcionário de um posto de gasolina viu a agressão e pediu para que os homens parassem. Eles fugiram.

Funcionários do posto confirmaram que um dos frentistas ajudou no socorro. A Folha não localizou o frentista.

Uma moradora presenciou o ataque. "Vi um homem correndo e outros indo atrás para pegá-lo", afirma.

O caso foi registrado no 7º DP (Lapa). Até a conclusão desta edição nenhum dos suspeitos havia sido preso.

Fonte: Folha