Jovens usam arma e taco de golfe contra travestis em THE

Outra travesti acusou os rapazes de a terem ameaçado com uma arma de fogo e também provocado lesões

Terminou aida há pouco a audiência marcada nos autos de um dos Termos Circunstanciados de Ocorrência - TCO instaurado a partir de denuncia de lesão corporal e ameaça, supostamente praticadas por Rômulo Bezerra Caminha Veloso e Jonas Vitor Corado. Segundo as denúncias, os agressores utilizam taco de golfe. Outra travesti acusou os rapazes de a terem ameaçado com uma arma de fogo e também provocado lesões, que resultaram no deslocamento da prótese de silicone usada por ela.

Inicialmente, compareceram à Delegacia de Combate às práticas Discriminatórias 04 travestis. Entidades de defesa dos direitos LGBT, como Matizes e Associação das Travestis do Piauí também acompanharam a audiência.

Já os dois acusados de transfobia e dos crimes de agressão e ameaça estavam acompanhados de seu advogado, Lucio Tadeu.

Dérica, uma das travestis denunciantes, ratificou a representação contra Rômulo e Jonas. Agora, o TCO será encaminhado à Justiça. Ôutra audiência foi designada para o dia 28/09, às 9h, a fim de que seja tomado a termo o depoimento de outra travesti-denunciante.

Após a audiência, compareceu à Delegacia a travesti Samara, ratificando a denuncia de agressão contra os dois rapazes, registrada na Central de Flagrantes, no dia 22/8/2009. Nesse dia, Rômulo e Jonas chegaram a ser detidos, mas, depois de ouvidos, foram liberados.

Hoje, o Grupo Matizes recebeu outra denúncia: de que uma outra travesti também teria sido agredida e estaria com o olho bastante ferido. A diretora do Matizes, Carmen Lucia, foi até à casa dessa travesti, mas não conseguiu conversar com ela. Hoje à tarde, nova tentativa será feita, a fim de convencer essa vítima a formalizar a denuncia e também fazer o exame de corpo delito.

ENTIDADES SE REUNIÃO COM ÓRGÃOS DE SEGURANÇA

O Matizes e a Associação das Travestis do Piauí agendaram para amanhã (18/09), às 16h30min, audiência na Secretaria de Segurança para discutir o caso.

As entidades solicitarão ao Secretário que sejam dadas todas as condições humanas e materiais à Delegacia de Combate às Práticas Discriminatórias para apuração das denúncias.

Também foram mantidos entendimentos com a Polícia Militar do Piauí, solicitando reforço no policiamento ostensivo nas áreas frequentadas por travestis.

Fonte: Portal Meio Norte, www.meionorte.com