Juíza conta que mais crianças teriam participado de ritual de cura

A equipe da Rede Meio Norte esteve no local onde aconteceu o ritua

No dia 14 de abril o Hospital de Urgências de Teresina recebeu uma paciente de apenas 10 anos de idade com suspeita de intoxicação em rituais de magia negra. O estado de saúde gravíssimo da criança, levantou preocupação de autoridades sobre o caso. Ela apresentava lesões nos braços e ingestão de algo desconhecido pela equipe médica.

“Chegando no HUT formos levados para a Unidade de Terapia Intensiva e a criança já se encontrava em coma, já tinha vários tubos para auxiliar na respiração e nos relataram que ela tinha várias marcas no corpo. Então fomos verificar e constatamos marcas em forma de cruz nos braços. Nesse mesmo dia encontramos com o pai da criança, conversamos com ele e ele nos falou a religião que frequentou a tempos atrás e que depois de ter se separado da mãe da criança, ela continuou levando a criança para os encontros da religião. Não estamos contestando a religiosidade de ninguém, o que nos chamou atenção foi as marcas no corpo e a intoxicação”,  disse Socorre Araes, conselheira tutelar que cuida do caso.

Segundo informações, mãe e filha estariam em um centro religioso, onde a criança ingeriu líquido desconhecido. Com um objeto cortante eles teriam feito cortes no braço dela em formas de cruz. O ato foi reconhecido como rotura por autoridades. Segundo eles, outras crianças estariam sendo usadas nos rituais religiosos. Houveram contradições por parte de pai, mãe e outras pessoas que se pronunciaram sobre o caso.

A juíza Maria Luisa disse que o caso será avaliado criminalmente. A criança permanece internada em coma na Unidade de Terapia Intensiva no Hospital de Urgências de Teresina, com morte cerebral. A equipe da Rede Meio Norte esteve no local onde aconteceu o ritual. Confira:

Fonte: Portal Meio Norte