Julgamento de Bola é adiado em Fórum de Contagem, em BH

Prorrogação foi feita por causa da ausência de advogado de defesa.

O julgamento do ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, acusado de matar um carcereiro há 12 anos em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, foi adiado nesta quarta-feira (24), por não comparecimento do advogado de defesa, Fernando Magalhães. A sessão seria realizada no fórum daquela cidade. Ele também é acusado de participar do desaparecimento e morte de Eliza Samudio, ex-namorada do goleiro Bruno.

A juíza Marixa Fabiane Rodrigues, que presidiu a sessão, determinou que o novo julgamento sejá no dia 5 de novembro, às 9h. Ela também multou Magalhães em R$ 18.660, o que corresponde a 30 salários mínimos. A magistrada ainda confirmou que o acusado será assistido, neste julgamento, por um defensor público. Magalhães poderá participar da próxima sessão, mas Marixa já nomeou outro defensor. Magalhães não foi localizado pelo G1 para comentar sobre o caso.

Na sessão desta quarta-feira seriam ouvidas cinco testemunhas de acusação e cinco de defesa. O Ministério Público Estadual (MPE) acredita que a morte foi encomendada, já que Bola e o homem que morreu, um carcereiro, não se conheciam.

Bola foi reconhecido pela irmã da vítima que presenciou o crime, depois que a imagem dele foi divulgada pela imprensa, por causa do desaparecimento de Eliza.

Caso Eliza Samudio

O julgamento do caso Eliza Samudio começará no dia 19 de novembro deste ano. Bola está preso desde julho de 2010 e foi indiciado pelo MPE por homicídio qualificado e ocultação de cadáver.

Para a polícia, a ex-namorada do jogador, Eliza Samudio, foi morta em junho de 2010 na Região Metropolitana de Belo Horizonte, e o corpo nunca foi encontrado.

Após um relacionamento com o goleiro Bruno, Eliza deu à luz um menino em fevereiro de 2010. Ela alegava que o atleta era o pai da criança. Atualmente, o garoto mora com a mãe da jovem, em Mato Grosso do Sul.

Outro crime

Bola compareceu no dia 25 de setembro deste ano ao Fórum Lafayette, em Belo Horizonte. Ele é acusado de ter assassinado um motorista, em 2009, na Região Norte da capital mineira. A assessoria do fórum informou que cinco testemunhas de defesa e acusação prestaram depoimento, mas Bola não chegou a ser ouvido.

Além do ex-policial, um comerciante é suspeito de participação no crime. Entretanto, segundo o Fórum Lafaytte, o homem, que seria o mandante, não foi encontrado para ser intimado sobre a sessão. A assessoria informou ainda que uma nova audiência deverá ser realizada em fevereiro de 2013.

A defesa de Bola nega que o ex-policial seja o autor do crime e alega que haja falhas na investigação.

Bola foi indiciado pela morte do motorista em abril de 2011. Segundo a polícia, Santos teria executado a vítima com dois tiros na cabeça e um no pescoço, na noite do dia 27 de julho de 2009. A morte, de acordo com a corporação, foi encomendada por um comerciante, que também foi indiciado.

Processos

Bola está preso desde 2010. Atualmente, ele está detido em São Joaquim de Bicas, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Além de processos sobre o assassinato em Belo Horizonte e sobre a morte e desaparecimento de Eliza Samudio, Bola ainda responde por dois homicídios em Esmeraldas, em 2008, e um em Contagem, em 2000.

Fonte: G1