Justiça absolve Suzane von Richthofen por fornecer endereço errado

Na decisão, a juíza considerou que ela não agiu de má-fé

Suzane von Richthofen foi absolvida pela Justiça por ter dado endereço falso em saída temporária no dia das mães deste ano. Ela estava ameaçada a perder o benefício das saídas devido ter tido essa conduta.

O endereço fornecido por Suzane à época funcionava uma loja de tecidos e os proprietário afirmaram não ter visto a jovem. Após o ocorrido, ela foi localizada e por esse motivo teve sua volta para a penitenciária antecipada.

Em sua decisão, dada na última quarta-feira (6), a juíza Sueli Zerai, da Vara de Execuções Criminais, de Taubaté considerou que  a detenta não agiu de má-fé. Com isso ela continua cumprindo pena normalmente em regime semiaboerto na penitenciária Santa Maria Eufrásia Pelletier, em Tremembé (SP).


Suzane foi absolvida por fornecer endereço errado em indulto
Suzane foi absolvida por fornecer endereço errado em indulto

O Ministério Público havia pedido a regressão de Suzane do semiaberto para o regime fechado e uma sindicância da Secretaria de Administração Penitenciária (SAP), sugeriu que ela pedesse o benefício das saídas temporárias por seis mesesm sem regressão de regime. Nos dois casos, ela corria o risco de de perder o direito conquistado por ela de cursar falculdade temporariamente ou totalmente impedido.

As conclusões dos dois órgãos foram submetidas à Justiça, responsável por impor a penalidade.

Suzane cumpre pena de 39 anos pelo assassinato dos pais em 2002. Desde que foi condenada, essa é a segunda vez que Suzane têm direito à saída temporária.

Recentemente, Suzane foi pedida em casamento pelo seu atual namorado Rogério Olberg e aceitou o pedido. Ele é engélico e admira Silas Malafia.

Os dois se conheceram em Tremembé, durante uma das visitas que o empresário fez a uma das suas irmãs que cumpre pena de 18 anos. Os dois já estariam se relacionando desde o fim do ano passado e passaram a Páscoa juntos, na primeira vez que Richthofen recebeu o benefício de deixar a prisão.


Fonte: G1