Aceita denúncia contra professor que matou aluna e entregou corpo

Aceita denúncia contra professor que matou aluna e entregou corpo

Professor de Direito, que teria confessado crime, pode ser julgado por júri popular.

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJDF) aceitou na tarde desta segunda-feira (10) a denúncia do Ministério Público contra o professor universitário Rendrik Vieira Rodrigues, de 35 anos. Ele é suspeito de matar com três tiros a estudante Suênia Sousa de Farias, 24 anos, com quem teve um relacionamento amoroso, no dia 30 de setembro.

Os advogados de Rodrigues agora têm dez dias para apresentar a defesa. Após esse prazo, a Justiça vai decidir se Rodrigues será julgado por júri popular. De acordo com informações da Polícia Civil do DF, o professor confessou o crime.

O inquérito policial foi encaminhado à Justiça na terça-feira (4). No mesmo dia, o Tribunal de Justiça do Distrito Federal indeferiu o pedido de relaxamento da prisão de Rodrigues. De acordo com a assessoria do TJ, o juiz que analisou o caso, Sandoval Gomes de Oliveira, alegou que permaneciam inalterados os requisitos que fundamentaram o decreto da prisão preventiva de Rodrigues, que está detido desde o início do mês.

Primeiro Rodrigues foi levado para a carceragem do Departamento de Polícia Especializada (DPE), mas já está cumprindo prisão temporária no complexo penitenciário da Papuda.

Em depoimento à Polícia Civil , Rodrigues disse que foi ameaçado pelo marido de Suênia, Hélio do Prado, no dia 17 de setembro, cerca de duas semanas antes do assassinato.

No depoimento, ele afirmou que ?estaria amedrontado com a ameaça sofrida?, porque soube que Prado teria comprado uma arma em dezembro de 2010, período em que a estudante se afastou do marido e teve um relacionamento com o professor. A família da estudante nega.

Para a irmã da estudante morta, Silene Farias, o depoimento é ?absurdo?. ?Não procede nada disso. Nunca, ele [ Prado] compraria uma arma para machucar alguém ?, disse. Silene disse que recebeu uma cópia do depoimento na quarta-feira (5) e que leu junto com o marido da irmã.

O crime

Segundo a Polícia Civil, Rodrigues e Suênia teriam se conhecido no UniCEUB, onde ele lecionava e ela estudava. O relacionamento teria durado três meses, período em que ela estava separada do marido.

Insatisfeito com o fim do namoro, o professor pediu na sexta-feira para conversar com a estudante, e os dois saíram de carro, de acordo com os policiais. A polícia afirma também que Rodrigues disse em depoimento que alvejou a ex-namorada com três tiros. ?Segundo a versão dele, foi no ímpeto, durante a discussão, que ele resolveu reagir dessa forma?, disse o delegado Ulysses Campos Neto.

Após o crime, Rodrigues levou o corpo até a Delegacia de Polícia de Recanto das Emas, na periferia do Distrito Federal, e se entregou.

Fonte: G1