Justiça apura morte na Custódia

Mag Say Say, acredita que o homicídio não tenha sido cometido por conta de rixa entre os presos

A secret?ria estadual de Justi?a e Direitos Humanos, Cl?ia Maia, informou que a institui??o vai instaurar processo administrativo para apurar como aconteceu o crime descoberto quando os agentes penitenci?rios foram fazer a contagem dos presos durante a manh?. As perfura?es atingiram o t?rax e o pesco?o.

O diretor de Pres?dios da Secretaria, Mag Say Say, acredita que o homic?dio n?o tenha sido cometido por conta de rixa entre os presos. ?O Salim foi removido recentemente para essa cela e todo preso, quando ? removido, assina um termo de responsabilidade de que n?o possui rixa com os outros presos?, falou Mag Say Say.

Segundo o diretor da Casa de Cust?dia, tenente da Pol?cia Militar Elton Maciel, disse que afirmou que um processo administrativo ser? aberto para identificar os autores e a causa do assassinato. Dos que estavam na

cela, os principais suspeitos s?o Edivaldo Santos Martins, o Jarr?o, e Wenderson Melo Vieira, mas tamb?m est?o sendo investigados pelos crimes os detentos Paulo Henrique Alves e Kleber Alves Nascimento.

A Casa de Cust?dia de possui 650 presos distribu?dos em oito pavilh?es com aproximadamente 100 presos, disse Mag Say Say. O presidente

da Comiss?o de Direitos Humanos da OAB no Piau?, L?cio Tadeu, disse que

o detento foi morto pelos colegas de celas e o corpo passou a noite ao lado dos detentos. Na cela tinha quatro presos. H? suspeitas de havia

rixa entre os presidi?rios. Ele disse que o corpo foi encontrado enrolado em len?ol na Casa de Cust?dia.

A m?e de Carlos Eduardo, Concei??o Soares, afirmou que ele estava prestes a sair da Cust?dia e tinha conseguido um advogado para libert?-lo. ?? muito triste para uma m?e ter o filho morto quando estava para sair da pris?o. Ele foi preso porque matou um homem que queria me matar?, falou.

Fonte: Efrém Ribeiro, Jornal Meio Norte / meionorte.com