Justiça condena mãe que matou e congelou bebês

A Promotoria tinha pedido dez anos de prisão para a mulher de 41 anos

A Justiça francesa condenou nesta quinta-feira a oito anos de prisão Véronique Courjault, que matou três de seus filhos e que congelou depois os corpos de dois deles na geladeira de casa, informaram fontes judiciais.

A Promotoria tinha pedido dez anos de prisão para a mulher de 41 anos, que há dois anos e meio está em prisão preventiva e que permaneceu impassível enquanto escutava a sentença ditada pelo Tribunal Criminal de Tours, no centro da França.

Os advogados da condenada disseram durante sua defesa que a mulher sofre de uma doença mental denominada "negação de gravidez", que foi o que a levou a ocultar suas três gravidezes do marido e de estrangular as crianças pouco depois do parto.

Os advogados disseram que é "uma mãe que sofre" e "não um monstro" e solicitaram ao tribunal que a condenasse a uma pena "de esperança e não de desesperança".

A mulher, mãe de dois adolescentes de 12 e 14 anos, se encontra em prisão preventiva há dois anos e meio, quando foram encontrados os corpos de dois dos bebês no congelador da geladeira de sua casa em Seul. Ela morava na Coreia do Sul porque seu marido trabalhava para uma companhia americana no país.

Foi o marido, Jean-Louis, 42 anos, quem descobriu os corpos das duas crianças em 23 de julho de 2006 e alertou a Polícia. Após a detenção, a mulher reconheceu no total três assassinatos, o primeiro de um recém-nascido em 1999 na França, e dos outros dois que nasceram em setembro de 2002 e dezembro de 2003 em Seul.

Fonte: g1, www.g1.com.br