Caso Eliza: Quaresma deixou defesa do goleiro Bruno

Caso Eliza: Quaresma deixou defesa do goleiro Bruno

O tribunal recebeu um documento em que o advogado pede para deixar o caso.

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) informou nesta terça-feira (23) que Ércio Quaresma não é mais responsável pela defesa do goleiro Bruno. O tribunal recebeu um documento em que o advogado pede para deixar o caso. O jogador e outras oito pessoas são réus no processo que investiga a morte de Eliza Samudio. Ainda segundo informações do tribunal, a juíza Marixa Fabiane Rodrigues, responsável pelo processo, vai definir no dia 10 de dezembro se os réus vão ou não à juri popular.

Segundo o TJ, o pedido de Quaresma foi anexado aos autos do processo e, com isto, a saída do advogado é considerada como oficial. O tribunal não soube informar o nome do novo advogado de Bruno. O advogado paranaense Cláudio Dalledone afirmou ao G1, nesta segunda-feira (22), que assumiu a defesa do jogador depois de uma reunião com o antigo advogado e Bruno na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. O G1 tentou falar com o advogado Quaresma até o fechamento desta reportagem. Caso, ele atenda ao pedido de contato, a versão dele será registrada.

Ainda de acordo com o TJMG, a juíza Marixa Fabiane Rodrigues estabeleceu que o promotor de Justiça, o assistente de acusação e os advogados de acusação apresentem as alegações finais entre os dias 22 e 26 de novembro. Os advogados de defesa devem apresentar as alegações finais entre os dias 29 e 3 de dezembro.

Entenda o caso

O goleiro Bruno é réu no processo que investiga a morte de Eliza Samudio. A Justiça de Minas Gerais aceitou a denúncia do Ministério Público contra Bruno e outros oito envolvidos no desaparecimento e morte de Eliza. Fernanda Gomes de Castro, namorada de Bruno, foi presa em Minas Gerais.

O goleiro; Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão; Sérgio Rosa Sales; Dayanne Souza; Elenilson Vítor da Silva; Flávio Caetano; Wemerson Marques; e Fernanda Gomes de Castro vão responder na Justiça por homicídio triplamente qualificado, sequestro e cárcere privado, ocultação de cadáver e corrupção de menor. Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, é o único que responderá por dois crimes. Bola foi denunciado por homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver. Todos os acusados negam o crime. As penas podem ultrapassar 30 anos.

A pedido do Ministério Público, a Justiça decretou a prisão preventiva de todos os acusados. Com essa medida, eles devem permanecer na cadeia até o fim do julgamento. Em 2009, Eliza teve um relacionamento com o goleiro Bruno, engravidou e afirmou que o pai de seu filho é o atleta. O bebê nasceu no início de 2010 e, agora, está com a mãe da jovem, em Mato Grosso do Sul.

Fonte: g1, www.g1.com.br