Justiça julga hoje acusado de matar e estuprar uma jovem no carro do noivo

Vanessa Duarte foi abordada quando saiu de casa, em Vargem Grande

O acusado de matar e estuprar a supervisora de vendas Vanessa Vasconcelos Duarte, de 25 anos, em fevereiro de 2011 será julgado na tarde desta quinta-feira (29), em Vargem Grande Paulista, na região metropolitana de São Paulo. Edson Bezerra de Gouveia, conhecido como Buda, está preso desde agosto daquele ano.

A supervisora foi morta após sair de casa em Barueri, também na Grande São Paulo, com o carro do noivo para se encontrar com amigas. Horas depois, os policiais encontraram o veículo abandonado.

Seu corpo foi localizado com sinais de violência e seminua em 13 de fevereiro, um dia depois do desaparecimento, em um matagal perto da Rodovia Raposos Tavares, em Vargem Grande Paulista. ?Ela tinha os punhos cerrados, e um semblante pelo que eu deduzi de revolta, eu acredito que ela deve ter agido em defesa de seu próprio corpo?, disse, à época, o delegado Ricardo Pagrion Filho.

O júri de Buda está previsto para as 13h, na Câmara Municipal de Vargem Grande, segundo o Tribunal de Justiça. De acordo com o Ministério Público, a promotora Maria Júlia Kaial Cury será a responsável pela acusação. O G1 não localizou a defesa do acusado para comentar o julgamento.

Crime

Buda morava perto da casa de Vanessa. Segundo a polícia, ele estava em liberdade condicional quando cometeu o crime. Ele tem uma longa ficha policial: já passou por 18 unidades do sistema prisional do estado de São Paulo em 13 anos e foi condenado três vezes por assalto. Na época, porém, estava fora da cadeia porque conseguiu o benefício da liberdade condicional.

Em 2010, o acusado deixou o Centro de Progressão Penitenciária de Mongaguá pela porta da frente, sem passar pelo exame que avalia a personalidade do criminoso e os riscos que ele pode oferecer à sociedade.

No fim de agosto de 2011, a PM de Sergipe recebeu denúncia anônima informando que o acusado estava escondido em um sítio em Cristinápolis, a 120 km da capital Aracaju. Ele foi preso e, de acordo com a PM sergipana, confessou o assassinato de Vanessa ao ser interrogado na delegacia. Até então, ele era um dos mais procurados pela Polícia Civil de São Paulo.

Fonte: G1