Justiça decreta prisão do jovem que atropelou e amputou ciclista

Justiça decreta prisão do jovem que atropelou e amputou ciclista

O estudante atropelou, na madrugada do domingo (10/03/2013), o limpador de vidros David Santos de Souza

O Tribunal de Justiça confirmou que o juiz Kleber de Aquino, do Dipo (Departamento de Inquéritos Policiais), decretou, no início da noite desta quarta-feira (13), a prisão preventiva do estudante de psicologia, Alex Siwek, de 22 anos. Com a decisão, Siwek permanecerá preso.

O estudante atropelou, na madrugada do domingo (10/3/2013), o limpador de vidros David Santos de Souza, de 21 anos, no cruzamento da avenida Paulista com a rua Maria Figueiredo, na região da Aclimação, na zona sul de São Paulo. David perdeu o braço direito no acidente.

O inquérito policial havia sido repassado para o Dipo, na manhã de quarta-feira (13), depois que o juiz Alberto Anderson Filho, do 1º Tribunal do Júri de São Paulo, que julga crimes contra a vida, entendeu que o estudante Alex Siwek, de 21 anos, que atropelou o ciclista David Santos Souza, não deve responder por tentativa de homicídio, mas sim por lesão corporal.

A decisão do juiz Kleber de Aquino deixou surpreso o advogado Cássio Paoletti, que defende o estudante.

? Eu ainda não fui informado sobre esta decisão.

Segundo o boletim de ocorrência registrado no 78º Distrito Policial, no dia do acidente, Alex Kozloff Siwek estava em alta velocidade e ultrapassava os carros, aparentemente embriagado, quando invadiu a faixa dos ciclistas. A vítima teve seu braço decepado.

O suspeito fugiu do local do crime e jogou o braço no rio. Após a fuga, o jovem se entregou e confessou que jogou o braço em um córrego na avenida Ricardo Jafet. O indiciado Alex Kozloff foi autuado em flagrante e não teve direito ao pagamento de fiança.

Em depoimento, na manhã de terça-feira (12), o ciclista David Santos de Souza disse que estava trafegando na contramão, no momento que foi atropelado pelo estudante. Ele também comentou com a delegada que não poderia mais desenhar.

O exame clínico do IML constatou que Siwek consumiu bebida alcoólica, mas não estava embriagado. Segundo a polícia, o resultado do exame pode ter sido prejudicado, porque foi feito por volta das 11h20 e o atropelamento aconteceu às 5h30, quase seis horas depois.

Fonte: r7