Justiça do RS decide manter atropelador de ciclistas em hospital

Justiça do RS decide manter atropelador de ciclistas em hospital

Juíza aceitou pedido da defesa. Polícia Civil havia solicitado transferência para instituto psiquiátrico.

A juíza Rosane Ramos de Oliveira Michels, da 1ª Vara do Júri do Rio Grande do Sul, aceitou, na noite desta quinta-feira (3), o pedido da defesa e manteve internado, sob custódia, no Hospital Parque Belém, em Porto Alegre, o funcionário público Ricardo Neis, que atropelou ciclistas em rua da cidade na sexta-feira (25).

Segundo informações do Tribunal de Justiça do estado, a Polícia Civil havia pedido a transferência para o Instituto Psiquiátrico Forense (IPF). A magistrada pediu avaliação do instituto sobre a viabilização da transferência para o local ou a um estabelecimento prisional.

Segundo a decisão da juíza, dois atestados firmados por médicos do Hospital Parque Belém prescrevem a necessidade de acompanhamento psiquiátrico, por isso, acreditam que Neis deve permanecer em local onde possa continuar em observação. De acordo com a juíza, foi diagnosticado quadro depressivo, com risco de suicídio, sob cuidados médicos especializados em unidade psiquiátrica fechada, sob cuidado e vigilância contínuos.

Em nenhum dos atestados, houve solicitação ou recomendação expressa dos médicos para transferência de Neis para o Instituto Psiquiátrico Forense, diz a decisão. É necessária avaliação prévia por perito oficial, segundo a juíza.

"Em nenhum dos atestados, houve solicitação ou recomendação expressa dos médicos para transferência do investigado para o Instituto Psiquiátrico Forense, nem foi dito que aquele nosocômio não dispõe de condições para dar atendimento ao investigado, neste momento, observados os cuidados e vigilância necessários", diz trecho da decisão. "Diante disso, entendo em não transferi-lo, por ora, ao Instituto Psiquiátrico Forense, devendo ser mantido sob custódia, no Hospital Parque Belém, aonde se encontra", decide a juíza.

De acordo com o texto, o laudo de avaliação preliminar deverá ser feito pelo Instituto Psiquiátrico Forense, a ser realizado na instituição onde Neis está internado.

Pedido

A Polícia Civil de Porto Alegre informou na quarta-feira (2) que pediria a transferência de Neis para o Instituto Psiquiátrico Forense, também na capital gaúcha.

Na manhã de quarta-feira, policiais prenderam Neis, que já estava internado em uma unidade psiquiátrica da cidade. O pedido de prisão preventiva foi feito na segunda-feira (28) pela polícia e pelo Ministério Público (MP), que o acusam de tentativa de homicídio qualificado.

O atropelamento ocorreu na sexta-feira, na esquina das ruas José do Patrocínio e Luiz Afonso, em Porto Alegre. Nove pessoas foram levadas ao Hospital de Pronto Socorro da cidade. Todas foram liberadas sem ferimentos graves, segundo o hospital. O motorista teria fugido do local sem prestar socorro, segundo testemunhas.

Fonte: g1, www.g1.com.br