"Justiça foi feita", diz mãe sobre morte de suspeito de matar a filha

"Justiça foi feita", diz mãe sobre morte de suspeito de matar a filha

Suspeito de matar suposto assassino da adolescente grávida falou à polícia

A morte do homem de 27 anos suspeito de matar uma adolescente de 16 que estava grávida em Gramado Xavier, na Região Central do Rio Grande do Sul, foi um alívio para a mãe da vítima. Maria Eronilda da Silva Couto temia que ele deixasse o Presídio Regional de Santa Cruz do Sul, como mostra reportagem do Bom Dia Rio Grande, da RBS TV (confira no vídeo).

"Para mim foi um alívio, porque eu tinha muito medo que ele saísse e voltasse. Pelo menos a Justiça de Deus foi feita", disse Maria Eronilda. O suspeito de encomendar o crime e uma companheira também morreram.

O suspeito da morte do homem do suposto assassino prestou depoimento nesta quarta-feira (6) à Polícia Civil. O jovem de 18 anos, que cumpria prisão preventiva por roubo, disse ter enforcado o companheiro de cela após uma briga.

Preso desde o dia 16 de fevereiro, o suspeito da morte da jovem havia mudado de galeria duas vezes, ambas por se sentir ameaçado. Segundo a administração da penitenciária, na terceira galeria ele assinou um termo afirmando que não corria mais risco de morte.

?Nossa maior garantia da saúde ou da integridade física são os próprios apenados. Se alguém entende que corre risco de vida, eles chamam o primeiro funcionário que veem, são separados e ouvidos. É tirado a termo, e ele já não retorna mais (à galeria em que estava)?, explicou o delegado penitenciário regional, Anderson Louzado.

Conforme o flagrante registrado na DPPA, o jovem que diz ser o autor relatou que agiu sozinho, enquanto os companheiros de cela dormiam. Ele não respondeu por qual motivo praticou o ato, e disse que sobre isso falará apenas em juízo. O outro detento foi enforcado, segundo a polícia.

Entenda o caso



O preso morto, que respondia pelo assassinato da adolescente grávida, era investigado por ter recebido dinheiro do ex-namorado da vítima e pai da criança, achado morto após o crime, segundo a polícia.

O corpo da jovem foi encontrado no dia 16 de fevereiro. No mesmo dia, o suspeito de encomendar o crime e uma companheira morreram no hospital do município. Na véspera, eles haviam sido encontrados baleados dentro de um carro. A polícia acredita que o suspeito tenha matado a mulher e cometido suicídio logo depois. A morte da jovem foi provocada por estrangulamento, conforme apontou uma necropsia.

Fonte: G1