Justiça solta acusada de matar marido em São Paulo

A mulher confessou o crime, segundo a polícia e seu advogado

A mulher suspeita de matar o marido, dono de um arsenal com 34 armas de fogo, na Zona Oeste de S?o Paulo, em agosto deste ano, conseguiu habeas corpus da 11? C?mara Criminal do Tribunal de Justi?a de S?o Paulo e pode ser solta ainda nesta quinta-feira (18). A mulher confessou o crime, segundo a pol?cia e seu advogado.

De acordo com a assessoria de imprensa do tribunal, o alvar? de soltura foi expedido na noite de quarta-feira (17). A mulher est? numa unidade prisional na cidade de Taubat?, a 130 quil?metros de S?o Paulo, segundo informou seu advogado, Ademar Gomes.

Ele disse que pediu a liberta??o de sua cliente por ela ser r? prim?ria e porque o crime foi cometido sob forte emo??o. De acordo com o advogado, a mulher matou o marido ap?s ter tido uma discuss?o com ele, na qual ele amea?ou deix?-la caso ela n?o aceitasse que ele tivesse um caso com outra pessoa.

A v?tima foi morta com um tiro na testa, disparado de uma pistola que fazia parte do arsenal encontrado na resid?ncia. O corpo foi encontrado em cima da cama do casal e, segundo a pol?cia, a v?tima aparentava estar dormindo quando houve o assassinato.

O delegado Andr? Antiqueira, do 34? Distrito Policial, no Morumbi, respons?vel pelo caso, afirma que a mulher ligou para a Pol?cia Militar minutos ap?s o crime, confessou ter matado o marido e pediu a presen?a dos policiais na casa onde eles viviam.

Na ?poca do crime, o delegado declarou que a mulher afirmou ter matado o marido porque, h? cinco dias, ele havia contado que tinha mantido rela?es sexuais com a irm? dela. A suspeita tamb?m teria informado em depoimento que o restaurador disse que estava interessado em outra pessoa e n?o queria mais viver com ela. O advogado dela diz que ela se confundiu sobre a irm? e que n?o houve um relacionamento amoroso entre seu marido e sua irm?.

Fonte: g1, www.g1.com.br