Ladrões assaltam banco e fogem com refém em capô de carro

Assaltantes roubaram banco em Marcelândia (MT) e levaram cinco reféns. Vítimas foram libertadas cerca de 4h depois em estrada.

Imagens gravadas por um morador pelo celular mostram o momento em que os assaltantes deixaram uma agência bancária de Marcelândia, a 712 quilômetros de Cuiabá, após cometer o assalto, na modalidade "Novo Cangaço", ação que consiste em atacar bancos no interior do estado de modo causando terror na população, nesta terça-feira (9). Eles levaram cinco reféns e um deles foi colocado em cima do capô da caminhonete, usada na fuga, para servir de proteção aos criminosos durante a perseguição policial. Ninguém foi preso.


Ladrões assaltam banco e fogem com refém em capô de carro

As vítimas foram libertadas aproximadamente quatro horas depois em uma estrada na zona rural do município. Um funcionário do banco, o gerente da unidade e três clientes foram socorridos e encaminhados para a Delegacia de Polícia Civil da cidade, onde prestaram depoimento. Policiais civis e militares fazem buscas em uma região de mata na tentativa de localizar os suspeitos do crime.

Uma auxiliar de limpeza, que trabalha na agência bancária e presenciou o assalto, disse que ainda está em choque. "Foi horrível porque a gente não espera. Eu estava trabalhando e de repente chega uns bandidos assim, com revólver e armas que nem sei o nome, mas sei que são potentes. Foi um pânico", afirmou Noranei Rosa.

O delegado da Polícia Civil, Sérgio Araújo, acredita que os criminosos já estavam na cidade para conhecer a rotina da agência e planejar a fuga. "Com certeza teve um levantamento prévio e aqui é uma cidade um pouco distante, o acesso um pouco difícil, em virtude das condições das estradas, o que facilita para os criminosos planejar o assalto", avaliou.

Depois do assalto, os assaltantes pegaram uma estrada que dá acesso à BR-322, mas antes atearam fogo em um ônibus escolar que transportava 40 crianças, mas nenhuma delas ficou ferida. O veículo ficou atravessado na pista para dificultar a passagem dos policiais. Em seguida, após destruir o ônibus, eles abordaram um caminhoneiro e o obrigaram a parar o caminhão também atravessado na pista.

Fonte: G1