Ladrões libertam mulher grávida que era mantida refém no DF

Ladrões libertam mulher grávida que era mantida refém no DF

Outras três permanecem reféns de ladrões em uma casa na Asa Sul

Os assaltantes que invadiram uma casa na Asa Sul, em Brasília, na manhã desta terça-feira (14), libertaram uma das quatro mulheres que haviam sido feitas reféns. Segundo a polícia, a mulher libertada está grávida e é filha da dona da residência. As outras três permanecem reféns dos ladrões.

O sequestro teve início por volta das 10h desta terça-feira (14), em uma casa no bloco K, da 711 Sul, no Plano Piloto, no centro de Brasília.

A mulher libertada deixou a casa andando e foi atendida em uma ambulância. Depois, ela entrou em um carro e levada para outro local. A polícia não informou para onde ela foi levada. Segundo a PM, a mulher libertada está grávida de quase dois meses.

De acordo com a PM, a libertação sinaliza que as negociações estão bem. "Ela vai ser atendida pelo Samu e pode ser que vá para o hospital", afirmou o major da PM Adriano Meireles, que trabalha na negociação dos demais reféns.

Mais cedo, o frei Ednilson Vaz, da Paróquia Santo Antônio, foi chamado para tranquilizar as pessoas que estão dentro da casa. Ele chegou a falar com uma das pessoas por telefone.

"Conversei com os familiares. No momento eles estavam bem. Me chamaram porque são pessoas que frequentam a paróquia."

Início da ação

Ainda há controvérsias sobre a ação dos ladrões. Segundo uma vizinha da família, os ladrões tocaram a campainha e, quando a dona da casa atendeu, foi anunciado o assalto.

A polícia, no entanto, informou que um morador da casa foi rendido pelos ladrões quando saía de carro. Quando deixavam o local no veículo da vítima, teriam visto um carro de polícia e retornado à residência. O homem ficou no veículo e não foi feito refém.

Pedreiros que trabalhavam em uma reforma na casa conseguiram deixar o imóvel e chamaram a polícia.

Em frente à casa há três caminhões do Batalhão de Operações Especiais (BOPE), uma ambulância e vários carros da polícia. A quadra foi interditada pela polícia.

Os moradores vizinhos da casa onde as vítimas são mantidas como reféns foram retirados para facilitar os trabalhos da polícia.

Vizinhos dizem que há registro de carros esporádios de furto de veículo na região, mas nunca houve um caso de violência. "Tem cinco anos que moro nesta quadra e isso é um caso isolado. De vez em quando ocorre um furto de carro, mas nada como estamos vendo hoje" disse Elisângela Santos, que mora na quadra 711 Sul com os dois filhos.

Fonte: G1