Legista Sanguinetti vai atuar no caso Eliza

Sanguinetti acredita que vai conseguir contestar boa parte dos laudos periciais

O perito George Sanguinetti, contratado para auxiliar a defesa dos envolvidos no desaparecimento e morte de Eliza Silva Samudio, ex-amante do goleiro Bruno, já está em Belo Horizonte para ficar cerca de dez dias. Ele disse que deverá refazer alguns procedimentos das perícias feitas pela Polícia Civil. Sanguinetti já está com os os laudos periciais, acompanhado do advogado Zanone de Oliveira Júnior, que defende o ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, "para saber quais decisões tomar daqui pra frente, o que contestar e o que aprovar" afirmou.

"O que me chama atenção é que até agora o que eu li não tem nada demais. É um absurdo falar que o Marco Antônio Aparecido cortou pedaços da Eliza e jogou para os cães. Isso deixaria evidências. Só o estrangulamento é que não deixaria", disse o perito.

Sanguinetti acredita que vai conseguir contestar boa parte dos laudos periciais da polícia e que no mais tardar amanhã já consegue concluir a análise do caso. "Ainda não li tudo. No fim do tarde de hoje ou amanhã pela manhã devo terminar as análises do laudos e depois, se achar necessário, devo visitar todos os locais que a polícia disse que os suspeitos se encontraram e mataram a Eliza" concluiu. "De certo temos que analisar com prioridade o sangue na Land Rover e o fio de cabelo no colchão".

O advogado de Bola disse que o primeiro passo é fazer a indicação de Sanguinetti como assistente técnico no caso e só depois da análise dos laudos é que vai decidir quais perícias solicitar. "Já estou entrando em contato com a doutora Marixa (Fabiane, juíza do Tribunal do Júrio de Contagem) para fazer a indicação do Sanguinetti como assistente da defesa. Acho que a indicação deve ser aceita automaticamente, se não vai ficar feio pra justiça. Só depois que vou decidir quais perícias contratar", disse Zanone.

George Sanguinetti é médico-legista e professor de medicina legal na Universidade Federal de Alagoas. O perito surgiu no Brasil no início dos anos 90 ao fazer a perícia do assassinato do ex-tesoureiro do presidente cassado Fernando Collor, Paulo César Farias, PC Farias. Ele também foi assistente da defesa do casal Nardoni, condenados pela morte da garota Izabela Nardoni, 5 anos.

Fonte: Terra, www.terra.com.br