Mãe acusada de abusar e matar filha deve prestar depoimento novamente para Polícia

Mãe acusada de abusar e matar filha deve prestar depoimento novamente para Polícia

Delegado vai até presídio de Tremembé, onde Ana Luiza Ferreira está detida.

A polícia deve ouvir novamente, nesta quarta-feira (12), o depoimento de Ana Luiza Ferreira, de 28 anos, suspeita de ter ajudado a namorada a assassinar a própria filha, uma menina de 13 anos, em Praia Grande, litoral de São Paulo. A mulher está detida no presídio de Tremembé, no interior do Estado. O delegado Evandro Medeiros irá até o local.

Medeiros informou que pretende confrontar o depoimento da mãe da vítima com o prestado pela namorada dela, uma boxeadora, na terça-feira (11). Segundo o delegado, a lutadora Elizabeth Fernandes dos Santos confessou o crime e disse que a garota era abusada pela própria mãe e pelo padrasto. Esse seria, inclusive, um dos motivos pelos quais a menina foi assassinada. A menor chegou a dizer aos pais que iria denunciá-los pelos abusos sexuais.

Em depoimento na terça, a boxeadora contou que a garota foi morta por ela e sua namorada. Enquanto a segurava a vítima pelo pescoço, a lutadora aplicava murros e chutes na vítima. As duas teriam ainda se revezado no espancamento.

O padrasto da criança também é acusado de envolvimento. Ele está preso em São Bernardo do Campo, no ABC. O homem é suspeito de ter descartado o corpo da garota em uma rodovia. Ele afirma ter sido ameaçado por Elizabeth e pela ex-mulher para "despachar" o cadáver. A polícia, no entanto, não descarta a participação do homem também no assassinato.

Motivações

A polícia trabalha com três hipóteses para o crime. A adolescente teria sido morta após ameaçar denunciar os pais pelos abusos sexuais sofridos. A segunda é que o crime teria sido provocado porque a menor não se conformava com o relacionamento da mãe com a boxeadora. A última hipótese é a de que a menina foi morta porque teria perdido uma mochila com drogas.

Uma reconstituição do crime já foi feita com a mãe, mas uma nova será realizada com a boxeadora, na próxima terça-feira (18).

Ainda segundo o delgado do caso, os três suspeitos devem ser indiciados por homicídio qualificado e ocultação de cadáver. O corpo da menina foi achado no dia 15 de agosto, na altura do km 42 da rodovia Anchieta, na região de Riacho Grande, em São Bernardo do Campo.

Fonte: G1