Mãe de 18 anos é presa após abandonar bebê em lixeira no Rio de Janeiro

A criança foi resgatada e a mulher presa logo depois, em um terminal de ônibus próximo ao local, na Praça 1

Uma jovem de 18 anos foi presa em flagrante, na noite desta quarta-feira, após jogar o próprio filho, de 8 meses, em uma lixeira, no Centro do Rio. Karen Isabele Amorim, 18 anos, havia pegado seu filho, Cauã Albuquerque, há uma semana na casa da mãe, que cria a criança.

Ela contou que durante todo o tempo que ficou com a criança perambulou pelas ruas. "Não sei porque fiz isso. Me deu um negócio e eu fugi com ele", declarou a jovem, ao ser perguntada porque levou a criança, apesar de não ter condições de cuidar dela. Sobre os motivos de não querer morar com a mãe, o padrasto e o filho, ela disse que já está acostumada com a rua. Segundo a mãe da jovem, Márcia Amorim, 36 anos, ela vive pelas ruas desde 14 anos, e só aparecia em casa de vez em quando.

Quando apareceu grávida, a jovem recebeu os cuidados da família e quando a criança nasceu a mãe entrou com processo na Justiça reivindicando a guarda da criança. Esta foi a segunda vez que Karen raptou o filho. "Na outra vez a encontramos logo, pois ela não foi muito longe. Dessa vez, porém, ela demorou mais", contou a mãe da jovem. "Resolvi trazê-la para passar o Dia das Mães em casa, comigo e com o filho dela, mas ela fez isso. Apesar de ser minha filha, quero que ela pague pelo que fez", contou Márcia.

Karen não revelou onde ficou escondida. O padrasto dela, Oswaldo Marcos Zacconi, 44, disse que a família percorreu todos os lugares onde sabia que ela ficava e que provavelmente ela se sentiu cercada e, por isso, resolveu se livrar da criança, jogando-a em uma lixeira, próximo ao Posto do Detran na Rua Santa Luzia, mas foi vista por um catador de material reciclável, que acionou policiais militares do 13º BPM (Praça da Harmonia). A criança foi resgatada e a mulher presa logo depois, em um terminal de ônibus próximo ao local, na Praça 15.

Ela foi levada para 5ª DP (Gomes Freire). Segundo o delegado adjunto da unidade, Mário Andrade, Karen vai responder por abandono de incapaz com agravantes e pode pegar até quatro anos de cadeia.

"É uma crueldade praticada pela própria mãe. Até o animal cuida de sua prole, mas ela mostrou uma frieza muito grande ao tentar se livrar do filho jogando-o na lixeira",disse.

Perguntada sobre porque jogou o filho na lixeira, Karen disse que teve vergonha de entregá-lo de volta à sua mãe. Apesar de suja, a criança estava bem de saúde. Ela pasou por exames em um hospital e foi liberada para ficar sob os cuidados da avó materna.

Fonte: O Dia Online