Mãe de menina morta por receber vaselina na veia: ""Não perdoo""

Mãe de menina morta por receber vaselina na veia: ""Não perdoo""

Esse erro aconteceu no Hospital São Luis Gonzaga, na zona norte de São Paulo.

O Mais Você desta segunda-feira, 13 de dezembro falou sobre a triste história da menina Stephanie dos Santos Teixeira, de 12 anos. Ela morreu, no inicio do mês, depois de receber vaselina liquída na veia em vez de soro. Esse erro aconteceu no Hospital São Luis Gonzaga, na zona norte de São Paulo.

No sábado a missa de sétimo dia de Stephanie foi realizada. Logo após, uma passeata se dirigiu até o hospital onde tudo aconteceu. A manifestação reuniu cerca de 60 pessoas. Participaram os pais, parentes e amigos de Escola Coronel Helio Franco Chaves, onde Stéphanie cursava a sexta série.

Para entender melhor o caso, Ana Maria conversou com Roseane Mércia, mãe da Stephanie. Ela contou que contratou um advogado para entrar na Justiça contra a auxiliar de enfermagem Kátia Aragaki, que foi indiciada por homicídio culposo (quando não há intenção de matar). ?Ela tinha que prestar atenção, já que os dois vidros eram iguais. Eu percebi a diferença entre eles, por que ela não viu? Isso me revolta. Eu não consigo perdoar, eu sinto que a minha filha já perdoou, mas eu não consigo? diz.

Segundo Roseane, a filha era uma menina saudável, ativa e sem problemas de saúde. Na sexta-feira, dia 2, apresentou sintomas de virose (enjôo, febre), e foi ao hospital para ser medicada. Primeiro, tomou com soro com medicamento. Quando o frasco acabou, Stephanie disse que estava com fome. Foi então que chegou a enfermeira e falou que daria a última medicação, para depois, então, Stéphanie ter alta.

Logo depois que o medicamento errado foi injetado, Stéphanie disse para a mãe que as mãos e garganta estavam formigando. Depois disso a menina começou a se contorcer e a pedir para que a mãe não a deixasse morrer. Tudo aconteceu em minutos. A menina foi retirada do quarto, o prontuário sumiu e a mãe soube que ela seria transferida para outro hospital. Nesse momento, pelos boatos de corredor, já sabia que a filha tinha recebido um medicamento errado e que o estado de saúde dela era grave.

A mãe conta que a única coisa que deseja é que a justiça seja feita. ?Eu não durmo, eu não como, eu não consigo fazer mais nada, quero apenas justiça?.

Sobre a vaselina

A vaselina liquida é um produto usado nos hospitais para hidratar a pele ou para lubrificar aparelhos usados em alguns exames médicos. Como não se mistura com o sangue, se injetada na veia provoca embolia. As microgotículas vão obstruindo veias e artérias e provocam colapso dos pulmões, coração, rins, cérebro e de todos os órgãos do corpo.

Mais Você

Fonte: g1, www.g1.com.br