Mãe é suspeita de matar bebê de 19 dias no Ceará

Mulher teria dito que ouvia vozes mandando que se livrasse do filho

Uma mulher de 20 anos é suspeita de de matar o próprio bebê, de 19 dias, no distrito de Maranguape (CE), de acordo com a Polícia Civil. A mulher teria dito à polícia que ouvia vozes mandando que ela se livrasse do filho e o jogou em um poço de água nos fundos da casa, neste domingo (19). Segundo a polícia, ela disse que as vozes pararam após a morte do recém-nascido.

A avó do bebê contou à polícia que havia alimentado o neto, deixou-o dormindo na cama junto com a filha e saiu para trabalhar. Momentos depois, uma vizinha chamou-a de volta dizendo que ouvia o bebê chorando. Quando chegou em casa, o neto não estava mais onde ela o havia deixado. A filha saiu do banheiro e disse que não sabia onde ele estava. A criança foi encontrada boiando no poço dos fundos, ainda com vida, mas não resistiu e morreu minutos mais tarde.

Segundo o delegado José Rodrigues Júnior , diretor da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa do estado do Ceará, a mãe do bebê ?compareceu à delegacia espontaneamente, confessou o crime e foi liberada, como diz a lei?. O policial disse que ela está sendo submetida a exames psiquiátricos para determinar se estava em estado puerperal (sofrendo alguma conseqüência física ou emocional causada pelo parto), como uma depressão pós-parto ou diagnóstico semelhante.

O delegado afirmou que, se o estado puerperal for constatado, o crime é classificado como infanticídio e tem uma pena reduzida. ?A pena não é de reclusão, é de detenção por 2 a 3 anos, mas, se os médicos detectarem que ela não estava nesse estado, o crime é homicídio e ela pode pegar pena de até 30 anos, dependendo como for classificado?, disse.

Rodrigues disse, ainda, que a mulher ?aparenta sofrer de algum tipo de perturbação". Ela tem outro filho, que não é criado por ela. De acordo com a polícia, o primeiro filho da mulher tem 10 anos e é criado pelos avós paternos.

Fonte: g1, www.g1.com.br