Maníaco da Cantareira é condenado a 57 anos de prisão em São Paulo

Maníaco da Cantareira é condenado a 57 anos de prisão em São Paulo

O julgamento foi realizado no Fórum de Santana, na zona norte da capital paulista.

Ademir Oliveira Rosário, 41, que ficou conhecido como o ?maníaco da Cantareira?, foi condenado nesta terça-feira (13) a 57 anos de prisão, no Tribunal do Júri, por ter matado e estuprado os irmãos adolescentes Francisco Oliveira Neto, 14, e Josenildo José Oliveira, 13, em 22 de setembro de 2007.

O julgamento foi realizado no Fórum de Santana, na zona norte da capital paulista. Não houve testemunhas de defesa e de acusação. O juiz Gilberto Ferreira da Cruz leu a sentença por volta de 20h. Rosário foi condenado por dois homicídios triplamente qualificados e dois estupros.

"Por se tratar de réu perigoso e violento, reedito e ratifico o decreto de prisão preventiva, visto que os seus pressupostos fáticos e requisitos jurídicos (genéricos e específicos) estão até agora presentes e reforçados, em especial a necessidade do Estado materializar a efetiva aplicação da lei penal e garantir a ordem pública?, afirma a sentença.

Élson José Messagi, também acusado pela morte dos irmãos, foi condenado em outubro de 2009 a 31 anos de reclusão.

De acordo com a acusação, Rosário --à época, com 36 anos-- teria abusado sexualmente de um dos meninos, antes de matá-lo. O réu chegou a contestar em recurso o suposto abuso alegando ausência de indícios suficientes de autoria, mas o TJ negou o pedido.

Em seu voto, o desembargador Poças Leitão, relator do processo, entendeu haver indícios suficientes de autoria, tanto em relação aos homicídios como no tocante aos crimes sexuais, mantendo, assim, a decisão.

O réu cumpria pena em regime semiaberto no presídio de Franco da Rocha (Grande São Paulo) quando os jovens foram assassinados na Cantareira --aos finais de semana, Rosário deixava a cadeia. Em 1991, ele havia sido condenado pelos crimes de roubo, atentado violento ao pudor e homicídio.

Os adolescentes ficaram desaparecidos três dias antes de terem seus corpos encontrados na serra da Cantareira, na zona norte da capital paulista. Segundo a polícia, Rosário confessou o duplo homicídio na época .

Fonte: UOL