Maníaco sexual invade casas e diz: "Maridos dormem muito"

O morador de rua de 34 anos assumiu os abusos sexuais

A Polícia Civil de Campinorte, no norte de Goiás, prendeu preventivamente na quinta-feira (21) um suposto maníaco sexual que entrava na casa das vítimas enquanto elas dormiam e praticava crimes sexuais, entre atos libidinosos, tentativa de estupro e estupro. O morador de rua de 34 anos assumiu os abusos e chegou a fazer o seguinte comentário à polícia: ?Aqui, os maridos dormem muito?.

Até a tarde desta sexta-feira (22) havia oito casos registrados na Delegacia de Campinorte, segundo o delegado da cidade, Abadio de Souza e Silva. Mas o próprio suspeito indicou, após ser preso, 25 casas onde teria entrado durante a madrugada. Na maioria das denúncias, a mulher acordou no meio da noite com o homem desconhecido ao lado delas na cama, praticando atos libidinosos.

O suposto tarado não se importava com o fato do marido estar na cama junto com a mulher. Em pelo menos duas vezes, o morador de rua se deitou entre o casal e começou a acariciar as partes íntimas da mulher e se masturbar. "A vítima pensava que era o marido e, de repente, estranhava algo e se assustava", diz o delegado.

Ao ser descoberto, o maníaco sexual saía correndo. Ele contou à polícia que sempre deixava a porta da casa aberta para facilitar a fuga.

Fatores de risco

Segundo o delegado, o homem disse que escolhia suas vítimas aleatoriamente na rua. Na hora de entrar nas casas, dava preferência por residências sem muro, com janelas abertas ou com o vidro quebrado. Entrava nelas durante a madrugada, em torno das 2h. Algumas vezes, ele desligava o padrão de energia antes de invadir o domicílio.

As oito vítimas que registraram boletim de ocorrência têm entre 12 e 40 anos. Uma jovem de 21 anos denunciou, na tarde desta sexta-feira (22), ter sido estuprada. Segundo a mãe da garota, que procurou a polícia após a prisão do suposto agressor sexual, a filha tem deficiência intelectual.

Policiais de Campinorte aguardam que outras vítimas reconheçam o criminoso e tomem coragem de denunciá-lo. "Estamos indo nas casas que ele indicou, conversando com os moradores para saber se aconteceu algo", diz o delegado Silva.

Abadio Silva espera ouvir o maior número possível de vítimas para saber quais foram os crimes praticados e encaminhar o procedimento ao Poder Judiciário. Segundo ele, o suspeito deverá responder por estupro e tentativa de estupro de vulnerável.

Como justificativa para os crimes, o homem preso alegou à polícia que foi abusado sexualmente pelo padrasto quando tinha 3 anos. Também disse que usava crack antes de invadir as residências. Sem documentos, ele diz ter nascido em Pernambuco e morado em Brasília, Goiânia e Anápolis antes de se instalar em Campinorte.

Fonte: G1