Manifestantes queimam ônibus e depredam cinco após morte em delegacia de SP

Eles atearam fogo em caçambas de lixo e pedaços de madeira na zona Leste de São Paulo

O protesto, que ocorreu na madrugada desta quarta-feira (27) na Zona Leste de São Paulo e deixou um ônibus incendiado e outros cinco depredados, pode ter sido provocado pela prisão e morte de um morador da região. O homem, de 39 anos, foi preso no final da tarde da terça-feira (26) dentro da favela Vila Reis com 26 papelotes de cocaína. Por volta das 20h, ele foi encontrado morto dentro da cela em uma delegacia da região.

O protesto na favela Vila Reis, na Vila Jacuí, começou por volta da meia-noite. Os manifestantes atearam fogo em um ônibus que estava parado no ponto final. As chamas se espalharam e atingiram uma casa ao lado. Segundo a SPTrans, outros cinco ônibus foram depredados durante o protesto.

Os manifestantes fecharam a Avenida Maria Santana, que corta a favela. Eles atearam fogo em caçambas de lixo e pedaços de madeira e ficaram agrupados no meio da avenida. Alguns manifestantes provocaram os policiais que acompanhavam o protesto de longe.

Um grupo atirou coquetéis molotov na avenida. Um dos coquetéis quase atingiu moradores que acompanhavam o protesto da porta de casa. Outros manifestantes tentaram incendiar uma árvore.

Às 2h30, a polícia furou o bloqueio. Carros da Rota foram os primeiros a entrar na favela. Houve correria e tiroteio. Policiais do Garra também apoiaram a operação. A manifestação foi controlada às 3h, com patrulhamento nas ruas do bairro.

Limpeza

No início da manhã desta quarta, funcionários da prefeitura limpavam a região e técnicos da Eletropaulo também trabalhavam na área.

Fonte: g1, www.g1.com.br