Marido ameaçava e seguia vítima, diz pai de esposa assassinada

Marido ameaçava e seguia vítima, diz pai de esposa assassinada

Pai da enfermeira morta com o filho garante que filha não traiu marido

A enfermeira Márcia Calixto Carnetti, de 39 anos, encontrada morta junto com o filho de 5 em casa, na Zona Sul de Porto Alegre, havia relatado ao pai que sofria ameaças do marido, um bioquímico de 46 anos apontado pela polícia como o principal suspeito do assassinato. João de Carvalho Calixto, de 70 anos, garantiu que a filha não cometeu a suposta traição conjugal que teria motivado o crime. Os corpos foram sepultados no final da manhã.

?Ela falou para mim que o marido a estava ameaçando. Ele a seguia, por diversas vezes na sua vida privada e profissional, desconfiado e ciumento. Ela me disse ?pai, não estou fazendo nada com relação a traição?. Tínhamos uma relação aberta?, declarou Calixto.

O pai e avô das vítimas diz que se preocupava com as atitudes do genro. Calixto chegou a pedir que ele procurasse acompanhamento psicológico. ?Eu pedi para ele fazer tratamento, mas não partiu nada dele. Ele gravava coisas pelo computador. Minha filha não o traiu. Ela me dizia ?se eu tivesse de trair, o trairia??, declarou.

Segundo Calixto, as ameaças não assustaram a filha, que permaneceu casada para preservar a família. ?Ela não demonstrou medo. Apesar de conviver com ele por 16 anos, ela estava muito ingênua em relação a esta violência. No fundo, queria manter a família. Mas ele ameaçou e consumou?, afirmou.

Questionado sobre o sentimento da perda de um ente querido, Calixto chora ao lembrar o neto de 5 anos. ?Perder o neto é como perder um pedaço da gente. Isso não se faz?, diz.

Colegas também relatam ameaça

Após o enterro, colegas de trabalho de Márcia, que preferiram não se identificar, relataram que a vítima sofria ameaças do marido, e marcaram uma caminhada contra a violência à mulher para as 12h da próxima quarta-feira (1°). Márcia trabalhava como enfermeira da Vigilância em Saúde, da Prefeitura de Porto Alegre.

O crime

Márcia e o filho de 5 anos foram encontrados mortos nesta quinta-feira (26) em um condomínio no Bairro Tristeza, na Zona Sul de Porto Alegre. Segundo a polícia, as vítimas estavam em quartos separados com marcas causadas por perfurações. Três facas sujas de sangue foram encontradas na residência, além de bilhetes escritos à mão.

Segundo o delegado Cléber Lima, o marido instalou um software no computador da mulher, através do qual ele teve acesso a e-mails que comprovariam a traição. As mensagens eletrônicas impressas foram encontradas com os bilhetes. Em um deles, feito à mão, estava escrito que uma traição motivaria uma tragédia. "Ela sabia que se colocasse guampa, acabaria em uma tragédia", dizia o texto, em expressão usada popularmente no Rio Grande do Sul para definir traição, de acordo com o delegado.

Outro bilhete afirmava que se suicidaria, jogando-se de uma ponte. O delegado aponta que o fato aumenta as suspeitas de que o ex-marido seja o criminoso. O homem se atirou de uma ponte na BR-290 na noite de quarta-feira (25), mas foi resgatado e hospitalizado. A polícia aguarda a liberação dos médicos para tomar depoimento do bioquímico.

Fonte: G1