Marido mata mulher grávida no CE

De acordo com o irmão da vítima, o pedreiro José Paulo Gomes, 53, Geane tinha deixado o companheiro há apenas três dias

O assassinato da dona-de-casa Geane Gomes Almeida, 39, grávida de quatro meses, chocou os moradores da Rua Coronel Nunes de Melo, no bairro Couto Fernandes (Zona Sul da Capital). O acusado do crime, o marido de Geane, Francisco José Batista da Silva continua foragido. A dona-de-casa foi atacada e morta em frente à casa de sua mãe, onde estava vivendo desde a separação. Uma sobrinha da vítima, de apenas 11 anos, presenciou o ataque do assassino.

De acordo com o irmão da vítima, o pedreiro José Paulo Gomes, 53, Geane tinha deixado o companheiro há apenas três dias. ?Ele não se conformava com a separação, mas como é frio, não demonstrava nada. Ontem (anteontem), desde a manhã, ele fazia ameaças. À noite, ficou esperando ela chegar na casa da mãe e desferiu três facadas?, contou.

Conforme o relato de testemunhas, o acusado atacou a vítima por trás e deu a primeira facada. Depois deu mais dois golpes no peito e no pescoço. ?Ela ainda gritou por socorro, mas como no domingo o bairro aqui é calmo, não tinha ninguém na rua?, contou emocionado um dos sobrinhos da vítima, José Santos, 27.

Conforme ainda o relato de parentes, depois do crime, o acusado ainda chegou a ser perseguido por dois amigos da família, mas conseguiu fugir depois de embarcar em um ônibus na Avenida Humberto Monte, no mesmo bairro.

O sobrinho de Geane disse ainda que o acusado premeditou todo o crime. ?Ele passou o dia vendendo objetos, como som, bicicleta, TV. Como se estivesse arrumando dinheiro para fugir depois de matar minha tia?, afirmou Santos.

A família da vítima quer que o caso seja apurado e que o autor do homicídio capturado. Entre lágrimas, o irmão Paulo Gomes pede Justiça. ?Quero que a Polícia pegue ele. Isso não pode ficar assim não. Ele é um cara frio. Já responde por outra morte. Agora são mais duas, a da minha irmã e do filho dela?, disse.

Na tarde de ontem, durante o velório da dona-de-casa, parentes, amigos e vizinhos lamentavam o fato. Uma mulher, que pediu para não ser identificada, não se conformava com o homicídio. ?Foi um crime bárbaro e covarde. Como uma pessoa tem coragem de matar a mulher que estava grávida de um filho seu??, indaga. O caso já está sendo investigado pelos inspetores da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM).

MISTÉRIO

Na manhã de ontem, o corpo da universitária Ceres Oliveira Pedrosa, 17, foi encontrado dentro do apartamento onde ela morava, na Rua José Nogueira Freire, no bairro Cidade dos Funcionários. A estudante de Enfermagem da UFC estava desaparecida desde a última sexta-feira (17).

A garota era natural de Mombaça e vivia sozinha em Fortaleza, onde estudava. Ontem, vizinhos chamaram a Polícia devido ao mau cheiro que exalava do apartamento.

Quando os PMs entraram no apartamento encontraram o corpo da adolescente em cima da cama, já em estado de decomposição. O apartamento foi isolado e a perícia do Instituto de Criminalística acionada.

A perita Sônia Silva conversou por telefone com a reportagem do Diário do Nordeste. De acordo com a perita, ao lado do corpo foram encontrados uma colher e um pires, mas segundo ela, não é possível afirmar se a vítima havia usado substância entorpecente. ?Somente com os exames realizados na autopsia, a causa da morte poderá ser confirmada?, ressaltou.

Fonte: Diário do Nordeste, www.diariodonordeste.com.br