Marido suspeito de atirar contra executiva morre em hospital

Marido suspeito de atirar contra executiva morre em hospital

Ele estava internado desde a madrugada de quinta (24) em Heliópolis.

O autônomo Eduardo Marques Marchesi morreu nesta sexta-feira (25) no Hospital de Heliópolis, na Zona Sul de São Paulo, onde estava internado desde a madrugada de quinta-feira (24). Segundo a polícia, Eduardo matou a mulher, a executiva Tatiana Pinho, e tentou se suicidar após o crime. A Secretaria Estadual de Saúde confirmou o falecimento do rapaz.

Tatiana, de 36 anos, era executiva de negócios da Editora Abril. A polícia afirma que ela foi morta pelo marido, na região do Ipiranga, na Zona Sul de São Paulo. Tatiana foi atingida na cabeça, na casa em que vivia com Eduardo e o filho, de 2 anos.

Em depoimento aos investigadores, a sogra da executiva contou que estava dormindo quando recebeu, por volta das 3h, uma ligação do filho pedindo que ela fosse até a casa dele, na Rua Alberto Nepomuceno, para cuidar do neto. A mulher relatou que, sem entender muita coisa, atendeu o pedido e chegou à residência cerca de 30 minutos depois.

Assim que chegou ao local, a sogra de Tatiana encontrou o neto sentado, sozinho, na sala. Ao caminhar até o quarto do casal, se deparou com os corpos da nora e do filho lado a lado, deitados na cama em meio a manchas de sangue. Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), os dois tinham ferimentos na cabeça provocados por arma de fogo.

O socorro foi acionado, mas a executiva da Abril já estava morta no momento da chegada da equipe médica. Eduardo Marchesi foi socorrido e encaminhado em estado grave ao Hospital de Heliópolis. A arma do crime, um revólver calibre 38, foi apreendido pela polícia.

O caso foi registrado como homicídio e tentativa de suicídio no 16º Distrito Policial de São Paulo, na Vila Clementino, também na Zona Sul. Até as 19h, não havia informações sobre o que teria motivado o crime.

Fonte: G1