"Matemático" usa mulheres como estratégia para escapar da Polícia

Matemático também adota outras medidas de precaução além do constante revezamento feito na casa das mulheres.

Ter mais de uma mulher pode infernizar a vida de um homem. No caso de Márcio José Sabino Pereira, de 37 anos, essa condição virou uma das estratégias para escapar da cadeia. O traficante conhecido como Matemático se tornou o principal alvo da polícia nos últimos três meses e passou a usar a poligamia a seu favor, buscando refúgio na casa de pelo menos três mulheres na Favela da Coreia, em Senador Camará, Zona Oeste do Rio.

Parece mentira, mas não é. Na noite de 1º de abril, policiais militares do 14º BPM (Bangu) contaram com o auxílio de um helicóptero da Polícia Civil para fechar o cerco ao redor de uma casa de dois pisos na favela. O luxuoso imóvel, que contrastava com a pobreza na favela, abrigava Matemático. Ele estava com uma das suas mulheres, uma jovem de apenas 19 anos.



Seguranças do traficante, que estavam do lado de fora, trocaram tiros com os policiais enquanto o bandido fugia pelos fundos, com acesso a uma mata. A mulher dele se feriu, atingida por estilhaços. Na casa, a polícia encontrou carregadores de fuzil. A jovem foi conduzida à delegacia e indiciada por associação para o tráfico.

Ferido em fuga

Foi a terceira e última vez que Matemático escapou da polícia recentemente. No fim de janeiro, policiais do 14º BPM trocaram tiros com um bandidos na Coreia. Entre eles, estava o traficante, que fugiu durante o tiroteio. Matemático se feriu, mas não por causa dos tiros. Ele sofreu um corte profundo num dos pés ao pular um muro cheio de cacos de vidro de uma casa, na fuga.

No dia 2 de março, os policiais conseguiram localizar o paradeiro de Matemático mais uma vez, graças a informações anônimas. Houve tiroteio. Um policial militar perdeu um pulmão ao ser atingido por um dos disparos. Um segurança do traficante morreu. Mas Matemático escapou. Dois dias depois, a PM prendeu outro segurança de Matemático, que estava com um fuzil e usava uma camisa com a foto do ?colega? morto no confronto.

Matemático também adota outras medidas de precaução além do constante revezamento feito na casa das mulheres. Quando aparece numa rua, cercado de seguranças, os moradores já sabem que é a senha para entrarem nas suas casas. Só quando a rua está deserta é que o traficante aparece, entrando em algum lugar onde não possa ser visto nem denunciado.

R$ 10 mil por Matemático

O Disque-Denúncia (2253-1177) subiu de R$ 3 mil para R$ 10 mil o valor da recompensa por informações que levem ao paradeiro dele. É o maior valor pago por um traficante no estado do Rio.

Bandidos viram a casaca para agradar o chefe

Matemático é vascaíno fanático. Até bandidos flamenguistas vestem a camisa do Vasco, só para agradar o traficante. A casa de uma de suas mulheres, inclusive, é chamada de São Januário, nome do estádio do clube de coração do bandido.

Fuga

Matemático saiu da cadeia em 2009, para cumprir regime semiaberto, trabalhando na funerária da família de sua advogada. Não voltou à cadeia. Ele responde a seis processos por tráfico, mas também é investigado por homicídios.

50 mortes

O traficante tenta tomar a Vila Kennedy desde o começo de 2011 e tem até uma espécie de ?gerente de guerra?, só para traçar estratégias para conquistar o território. A disputa com a facção rival já causou cerca de 50 mortes.

Fonte: Extra