Médico e auxiliar de enfermagem viram réus por estupro em Minas

A dupla é acusada de abusar de cinco pacientes

Após ser preso em 17 de junho, acusado de estuprar cinco pacientes em Governador Valadares (MG), e ter prisão revogada em 5 de julho, o médico Ricardo Aranha de Magalhães se tornou réu, nesta terça-feira (19), junto com uma auxiliar de enfermagem, apontada por ter participação nos crimes.

Dois inquéritos foram encaminhados ao Fórum. No primeiro, constam as acusações de estupro de três mulheres em 2014, entre as quais duas eram mãe e filha. Na época, a investigação sobre a terceira vítima não foi adiante por falta de provas. A outra corresponde a três estupros denunciados em 2016, o primeiro deles relatado à polícia por uma jovem de 25 anos que afirmou ter sido molestada durante uma endoscopia.

Contra a auxiliar de enfermagem, pesam denúncias por parte de vítimas e do próprio médico acusado. Segundo testemunhas, a auxiliar estava presente durante os procedimentos. Duas vítimas acusaram a mulher de ter participado do abuso.

De acordo com a delegada Adeliana Xavier, os depoimentos de Magalhães e da auxiliar apresentavam divergências. Além disso, a delegada informou ter enviado ao Conselho Federal de Medicina cópias dos inquéritos para tomada de medidas administrativas. O processo agora está em trâmite na Justiça. Os dois devem responder em liberdade.

Image title


Fonte: iG