Médico foragido é preso 20 anos após ter matado a ex-mulher a marretadas

Cássio Rubens Eira Ramalho, de 64 anos, matou a namorada em 1994. Ele estava foragido e se passando por outra pessoa em Peruíbe, SP.

Um médico que estava foragido há mais de 20 anos, acusado de assassinar a marretadas a ex-mulher em Santos, no litoral de São Paulo, em 1994, foi preso e apresentado pela polícia nesta sexta-feira (4), em Peruíbe, também no litoral paulista. Ele era procurado pela Justiça e, de acordo com informações da Polícia Militar, Cássio Rubens da Eira Ramalho, de 64 anos, estava com documentação falsa.

A polícia recebeu uma denúncia anônima de que Cássio estaria morando na cidade e, após um patrulhamento de equipe, os policiais fizeram a abordagem. Segundo a polícia, o médico apresentou um documento do irmão dele, mas pela diferença entre as características físicas encontradas na foto e pessoalmente, Cássio foi encaminhado para a delegacia.

No local, os policiais averiguaram a situação e, sem informações precisas do suspeito sobre os documentos, resolveram levá-lo para o Instituto de Identificação Ricardo Gumbleton Daunt (IRGD), na capital paulista. Pelas impressões digitais, foi revelado que Cássio não era a pessoa que estava no documento e, sim, o médico que matou a namorada.

Depois disso, o ele foi levado para a Delegacia Sede de Peruíbe, onde o Boletim de Ocorrência de captura de procurado e o documento falso foram registrados. O homem já foi levado para a cadeia de Itanhaém, também no litoral.

Agora, antes de ele ser encaminhado para cumprir a sua pena por assassinato, investigações serão feitas para que se chegue a conclusão de outros crimes que possam ter sido cometidos por Cássio neste período em que esteve foragido. Dependendo do resultado da pesquisa feita pelos policiais, o médico pode responder por outros crimes.
Médico é preso 20 anos após ter matado a ex-mulher a marretadas

Fonte: G1 Globo