Médicos confirmam morte cerebral de jovem seqüestrada e baleada por ex-namorado

A família de Eloá foi informada sobre a morte cerebral da jovem logo após o diagnóstico

A jovem Elo? Cristina Pimentel, de 15 anos, que foi mantida ref?m durante mais de 100 horas pelo ex-namorado em Santo Andr?, no ABC, teve morte cerebral confirmada ?s 23h30 deste s?bado (18), segundo informou o secret?rio de Sa?de do munic?pio, Homero Nepomuceno Duarte.

Ainda no s?bado, a neurocirurgi? Grace Mayre Lydia havia previsto que a menina ?neurologicamente, nunca sairia dessa situa??o?. Apesar disso, ela informou que a jovem ?tinha sinais vitais e o cora??o batia?. A m?dica disse que Elo? estava em estado grav?ssimo e seguia em coma.

A fam?lia de Elo? foi informada sobre a morte cerebral da jovem logo ap?s o diagn?stico.

Segundo a diretora do Centro Hospitalar de Santo Andr?, Rosa Maria Aguiar, a m?e, os irm?os e outros familiares da adolescente se encontram no hospital. O pai da menina n?o estava no local por volta de 1h10 (j? no hor?rio de ver?o). ?A fam?lia est? sendo atendida por psic?logos do hospital, est? sendo apoiada?, afirmou a m?dica.

De acordo com Segundo Rosa, os familiares da estudante sempre tiveram f? em sua melhora. ?Todo o tempo, a fam?lia tinha f? de que ela ia sair do coma. Todo mundo desabou (com a not?cia)?, afirmou. Perguntada sobre como se sentia diante do diagn?stico, a m?dica respondeu emocionada: ?? frustrante?.

Ap?s a divulga??o da morte cerebral de Elo?, um grupo de pessoas se reuniu em frente ao hospital e fez ora?es pela adolescente.

Bateria de exames

A confirma??o da morte cerebral de Elo? foi feita a partir de uma s?rie de exames, que foram repetidos com um intervalo de seis horas neste s?bado. Entre eles, exames laboratoriais, para analisar a dosagem de gases dilu?dos no sangue da paciente, exames de reflexos neurol?gicos e motores, e um ?ltimo, ?que constatou a aus?ncia de fluxo sangu?neo pelas art?rias cerebrais?, explicou Nepomoceno. ?Juntos, realizados em per?odos diferentes, e com o mesmo diagn?stico eles confirmam a morte cerebral?.

Doa??o de ?rg?os

Devido ? aus?ncia do pai, a junta m?dica ainda aguarda uma posi??o sobre uma poss?vel doa??o de ?rg?os. ?Vamos aguardar a posi??o deles sobre a doa??o. Como ela ? menor de idade, precisa da autoriza??o do pai e da m?e?, explicou o secret?rio municipal de Sa?de da cidade, Homero Nepomuceno. ?N?o podemos propor a doa??o antes da certeza da morte cerebral. Seria uma temeridade, com ela claramente ainda viva?, ressaltou.

?Caso seja favor?vel, ser? feito o protocolo com a central de transplantes que j? est? aqui?, explicou Nepomuceno. Caso a fam?lia opte por n?o fazer a doa??o, a jovem continuar? ligada aos aparelhos at? que haja um desfecho natural. ?A legisla??o do Brasil n?o permite a eutan?sia. Se n?o doar os ?rg?os, n?o pode desligar os aparelhos?, disse o secret?rio.

Nepomuceno ressaltou que o tempo at? que ocorra esse desfecho ? indeterminado. ?? uma quest?o delicada. Ela ? uma paciente jovem, os ?rg?os est?o em perfeito funcionamento, ? dif?cil de ser avaliado. Pode durar semanas, ou mais?. Ainda de acordo com o secret?rio, caso haja a doa??o ? poss?vel que a maior parte dos ?rg?os possa ser aproveitada. ?Isso n?o deve ser encarado pela fam?lia como algo oportunista, e sim como um ato de solidariedade?.

Nayara

Segundo os m?dicos, Nayara Silva, 15 anos, amiga de Elo? que tamb?m foi baleada, segue est?vel e sem altera?es no estado de sa?de. A jovem, entretanto, n?o sabe do estado de Elo?. ?Ela n?o deve saber ainda hoje (madrugada deste domingo, 19). Ela est? sendo poupada de qualquer informa??o que n?o seja sobre seu pr?prio estado?, afirmou o secret?rio de Sa?de da cidade.

Os m?dicos disseram ? tarde que Nayara Silva ?apresenta melhora progressiva?. Ela foi atingida na boca e passou por uma cirurgia na noite de sexta-feira (17). De acordo com a equipe m?dica, o estado de sa?de dela ? est?vel e a jovem est? bem fisicamente. O edema n?o progrediu al?m do esperado.

Desfecho tr?gico

As duas adolescentes ficaram feridas no desfecho de um seq?estro que durou mais de 100 horas. Na segunda-feira (13), por volta das 13h30, motivado por ci?mes, Lindemberg Alves, de 22 anos, antes considerado calmo pelos amigos, invadiu o apartamento da ex-namorada e chegou a manter quatro ref?ns.

No mesmo dia, ele libertou dois adolescentes que estavam no local para realizar um trabalho escolar de geografia. No dia seguinte, libertou a amiga da ex-namorada, Nayara. Entretanto, como parte das estrat?gias de negocia??o, ela voltou ao apartamento na manh? de quinta-feira (16).

O jovem chegou a falar em entrevistas que iria libertar tamb?m a ex-namorada, mas as negocia?es n?o avan?aram. Um promotor de Justi?a esteve na sexta-feira no local com um documento que dava garantia de que o seq?estrador n?o seria ferido ao se entregar. O advogado do rapaz disse que essa era uma de suas exig?ncias, e havia expectativa de que ele se entregasse no come?o da noite.

Quando a pol?cia organizava uma coletiva de imprensa para falar sobre as negocia?es foi ouvido um estrondo. ?s 18h08, a PM afirma que policiais que estavam em um apartamento ao lado do cativeiro ouviram um tiro disparado pelo seq?estrador.

O Grupo de A?es T?ticas Especiais (Gate) explodiu a porta e deteve Lindemberg. A adolescente Nayara deixou o apartamento andando, enquanto Elo?, carregada, foi levada inconsciente para o hospital. O seq?estrador, sem ferimentos, foi levado para a delegacia e, depois, para a cadeia p?blica da cidade.

Fonte: g1, www.g1.com.br