Médicos são presos ao fazerem aborto em clínica clandestina

Os médicos e mais uma gestante foram presos na clínica

A polícia prendeu em flagrante, nesta terça-feira (05), os médicos Antônio José Farias de Andrade, ginecologista, e Juvenal Siqueira Azevedo Filho, anestesista por realizarem aborto numa clínica clandestina., em Copacabana, zona sul do Rio.

Antonio José é ginecologista em Hospital Municipal Miguel Couto, no Leblon, na zona sul do Rio e Juvenal é assessor parlamentar do vereador Dr. João Ricardo (PMDB) desde agosto de 2015, quando largou a função no mesmo hospital público.

O vereador, que também é médico no Hospital Miguel Couto, diz conhecer Juvenal há 20 anos e revela estar chocado com a notícias:

— Estou chocado e triste com tudo isso. O dr. Siqueira sempre foi uma pessoa correta, não havia indício de qualquer irregularidade. Quero ver onde as investigações vão chegar, sem tomar nenhuma atitude precipitada — disse o vereador.

Após denúncia de funcionamento da clínica de aborto, foi dado cumprimento a um mandado de busca e apreensão no local. Uma mulher que realizava um aborto no momento em os policiais chegaram também foi presa.

Os médicos podem pegar até quatro anos de prisão, pois vão responder pelo crime de aborto com consentimento da gestante e a mulher pode pegar três anos de detenção pelo crime de aborto consentido.


Clinica clandestina realiza abortos
Clinica clandestina realizava abortos



Fonte: Com informações do Extra