Menina de 7 anos denuncia pai por estupro após assistir reportagem

Os pais da menina são divorciados e têm três filhos

Os diversos casos divulgados recentemente pela imprensa incentivaram uma menina de 7 anos a denunciar o próprio pai por estupro. De acordo com informações da polícia, o boletim de ocorrência foi registrado no domingo (5), em Bauru (SP), e a Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) já está com o caso.

Para a polícia, a mãe, que acompanhou a criança na delegacia, contou que ela resolveu falar o que tinha acontecido após assistir uma reportagem sobre denúncias de casos de abuso sexual. Ainda segundo as informações da polícia, os pais da menina são divorciados e têm três filhos. O pai teria se reaproximado da família depois de um dos filhos apresentar distúrbios no comportamento.

Ele levou os dois meninos, um de cada vez, para passar alguns dias juntos.No sábado, dia 14 de maio, foi a vez da menina. Pai e filha foram a uma festa e, segundo o depoimento da menina à polícia, ele havia ingerido bebida alcoólica. Quando chegaram em casa e foram dormir, houve o abuso. Ainda segundo o B.O, a menina chegou a pedir para que o pai parasse. De acordo com a vítima, ele pediu para que ela não contasse a ninguém, pois correria risco de morte.

A mãe da menina afirmou que a filha ficou mais agitada depois do caso e o pai não procurou mais a família. O caso foi encaminhado para DDM. "Nós temos todo um protocolo nesses casos de abuso, especialmente envolvendo uma criança. Ela é encaminhada para as psicólogas, que conversam com a vítima e a gente recebe um laudo com o relato dos abusos. Ela também passa por exames e mesmo não tendo vestígios do abuso, esse exame é realizado e a polícia com base nesse laudo também instrui os procedimentos. Somente depois desses procedimentos, em que encontramos a materialidade do estupro, é que a prisão preventiva do investigado é pedida", explica a delegada Alexandra Ramos Nogueira.

A delegada ressaltou também o fato da menina ter denunciado após uma reportagem e a importância da informação para que elas entendam o que está acontecendo e denunciem o abuso. "Nós sempre apoiamos a divulgação dessas informações, seja pelos meios de comunicação, na escola, entre os familiares que explicam o que é o abuso sexual, como ele ocorre dentro de casa, para que a criança entenda e se sinta à vontade para contar se acontece algo errado", completa.

Fonte: G1