Menina de 9 anos foi estuprada e esganada na Rocinha, diz laudo

Menina de 9 anos foi estuprada e esganada na Rocinha, diz laudo

Polícia já está analisando imagens das câmeras de segurança da favela. Rebeca Miranda de Carvalho, de 9 anos, foi enterrada nesta segunda.

A menina Rebeca Carvalho, de 9 anos, foi vítima de abuso sexual de acordo com o laudo do Instituto Médico Legal (IML). Segundo a Divisão de Homicídios, o exame de necropsia constatou que a causa da morte foi esganadura. A menor foi encontrada morta na madrugada deste domingo (29) em um beco da Favela da Rocinha, em São Conrado, na Zona Sul do Rio, com as roupas íntimas abaixadas.

saiba mais

Testemunhas da morte de menina na Rocinha serão ouvidas pela polícia

Corpo de menina de 9 anos é achado perto de UPP da Rocinha, no Rio

Segundo a Divisão de Homicídios (DH), as imagens das câmeras de segurança da Rocinha já estão sendo analisadas para ajudar a identificar qualquer movimentação suspeita na favela na noite do crime. Rebeca estava em uma festa perto de casa quando desapareceu. De acordo com a polícia, até o meio-dia desta segunda-feira (30), sete pessoas já tinham sido ouvidas.

No domingo, uma criança de 7 anos que estava no local e teria visto um homem puxando Rebeca. Segundo a polícia, novas testemunhas podem ser ouvidas ainda nesta segunda, inclusive outras crianças que estavam com a menina em uma festa na localidade conhecida como Cachoupa. A mãe da menina também será chamada para prestar novo depoimento, já que estava muito abalada no dia do crime.

"Depoimento de menor tem que ser visto com uma certa cautela. Ele foi ouvido com psicólogos e estamos avaliando todas as informações que chegam à polícia. Também estamos em busca de novas testemunhas", disse o chefe de operações da Divisão de Homicídios, Rafael Rangel.

Rebeca foi encontrada morta em um barranco, a 50 metros da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Rocinha. Os moradores dizem que os policiais da UPP não fazem mais patrulhamento nos becos da favela desde o desaparecimento do ajudante de pedreiro Amarildo, há pouco mais de dois meses. Segundo a polícia, o caso do pedreiro deve ser concluído nos próximos dias, mas o governador Sérgio Cabral nega que a tropa tenha recebido orientação para não policiar os becos.

A vizinha que encontrou o corpo de Rebeca disse que ela estava coberta com telhas e que reconheceu o chinelo que a menina estava usando.

Emoção durante enterro

Familiares e amigos se despediram de Rebeca Miranda de Carvalho, de 9 anos, durante funeral no Cemitério São João Batista em Botafogo, Zona Sul do Rio de Janeiro.

Fonte: G1