Menina que foi decapitada pode ter sido vítima de ritual de magia negra

No dia 26 de outubro a Guarda Civil Municipal de Guarulhos encontrou o corpo da criança em um local conhecido como Mato das cobras

O corpo de Laisa Correia Xavier, dez anos, desaparecida desde 10 de outubro, foi encontrado mais de 15 dias após seu sumiço. No dia 26 de outubro a GCM (Guarda Civil Municipal) de Guarulhos encontrou o corpo da criança na estrada Albino Martelo em um local conhecido como Mato das Cobras, em avançado estado de decomposição, decapitado, com as duas mãos e o pé esquerdo decepados e parcialmente queimado.

Muito abalada, Antônia Pereira da Silva, mãe da menina, confirma a informação e diz que reconheceu o cabelo da filha e o sutiã que a garota usava.

? Ninguém merece morrer do modo que mataram minha filha.

Segurando nas mãos o caderno cor-de-rosa da filha onde se lê na capa ?Com Jesus estou seguro?, Antônia acredita, pelo modo como o corpo foi encontrado, que Laisa pode ter sido vítima de magia negra.

? Cortaram a cabeça, as duas mãos e o pé esquerdo da minha filha.

Segundo testemunhas, a garota estava nua e vestia só um sutiã. Próximo ao corpo, foram encontrados uma calcinha e sandálias cor dourada número 36, mesma medida que calçava a menina. No entanto, a mãe descartou que fossem da garota.

Foram solicitados exames de DNA para identificação e a polícia aguarda o resultado para esta terça-feira (5). Na segunda-feira (4), a mãe colheu amostra de sangue para comparação de DNA. Laisa será enterrada às 16h30 desta terça-feira, no cemitério Vila Rio, em Guarulhos e, como o IML ainda não reconhece o corpo como sendo oficialmente de Laisa, a criança será sepultada sem nome, devendo ser alterada a identidade após os resultados dos exames.

No dia em que desapareceu, Laisa tinha perdido o horário da escola e por volta das 9h30 foi para a casa de uma vizinha acompanhada do irmão de 12 anos. A vizinha pediu pra ela comprar sabão em um mercadinho próximo. Após entregar o produto, a mulher deu R$ 0,50 para a menina, que retornou para casa e saiu novamente, desta vez sozinha, até a padaria que fica a menos de um quarteirão de sua casa.

Laisa comprou pão e não foi mais vista. A mãe acredita que ela foi encontrar as colegas da escola já que estava próximo do horário da saída das aulas.

Retrato falado

Fontes policiais informaram que uma testemunha afirma ter visto Laisa em um ônibus na companhia de um homem aparentando ter pouco mais de 30 anos.

Segundo a testemunha, o homem segurava Laisa pelos ombros como se estivesse abraçando a garota, mas o que chamou a atenção foi o desconforto da menina, que tentava se afastar do homem. Eles teriam descido próximo a um posto de combustível na altura da Favela do Piolho.

A polícia está elaborando um retrato falado do suspeito que deverá ficar pronto em breve para ajudar na identificação do homem.

Terceiro caso

No mesmo bairro, no dia 2 de outubro de 2007, outra criança desapareceu. Hugo Ribeiro dos Santos Camargo foi visto pela última vez na porta de casa e nunca foi encontrado. Ele tinha dez anos na época e desapareceu no mesmo mês que Laisa, próximo ao Dia das Crianças.

Além disso, moradores mais antigos do bairro se lembram de outro caso. O corpo de uma menina aparentando entre 10 e 11 anos de idade foi encontrado na trilha que leva até a represa Nazaré, entre os bairros de Fortaleza e Marmelo. O caso aconteceu há cerca de dez anos, segundo uma moradora que não quer se identificar. A mesma informação chegou até a mãe de Laisa por outros vizinhos. Os três desaparecimentos aconteceram no entorno da escola do bairro e até o momento nenhum foi esclarecido.



Fonte: r7