Menino baleado no colo de vereador está em estado grave

A criança estava no colo do pai quando foi atingida na noite de quarta-feira

O vereador Josias Nascimento de Jesus (PP), de Osasco, na Grande São Paulo, afirmou no inicio da tarde desta quinta-feira (1º) que o pai do menino de 1 ano e 2 meses baleado na cabeça durante uma tentativa de assalto acredita que o tiro que acertou a criança o teria atingido primeiro. ?Um dos tiros entrou pela bochecha e saiu pelo lado superior [do pai]. Ele acha que foi esse que atingiu o bebê?, disse o vereador, que mora no mesmo bairro e conhece a família.

A criança estava no colo do pai quando foi atingida na noite de quarta-feira (30). O homem de 25 anos também foi atingido. Ele foi socorrido para o Hospital Antônio Giglio, onde permanece internado nesta quinta, com quadro estável. Já a criança está internada no Hospital Regional de Osasco, em coma induzido e estado grave. Segundo a Secretaria de Estado da Saúde, ela foi atingida acima do olho esquerdo, teve lesão cerebral e corre risco de morte.

O vereador esteve no Hospital Regional de Osasco para visitar o menino e a mãe dele. Durante a manhã, ele também visitou o pai da criança, e disse que o jovem de 25 anos saía da igreja com uma bíblia na mão e o bebê no colo quando foi abordado pelo criminoso. ?No susto, ele saiu correndo, e aconteceu tudo isso?.

A mulher dele, mãe da criança, estava trabalhando no momento. Segundo Jesus, o pai não para de perguntar pelo filho. Por isso ele foi até o hospital onde esta a criança para levar notícias ao jovem. ?Ele está muito preocupado com o filho, pergunta dele o tempo todo?, disse.

Segundo o vereador, o homem não consegue falar direito ainda sobre tudo o que aconteceu. Ele também informou que os médicos disseram à família que a situação do bebê é gravíssima. ?A mãe está bastante triste, não dá nem para falar com ela?, contou Jesus.

Investigação

A Polícia Civil ainda procura o criminoso. De acordo com a polícia, o pai não tinha dinheiro e também não teriam reagido. Até esta manhã, nenhum suspeito havia sido preso.

?Vamos acionar o setor de homicídio da delegacia seccional para ajudar nossos investigadores a acharem o culpado por esse crime?, disse o delegado Antonio Carlos Gomes, do 1º Distrito Policial de Osasco, onde o caso foi registrado.

Fonte: G1/Agências internacionais