Menino de oito anos sofre bullying e abuso sexual dentro de escola

Ele foi abusado sexualmente por três colegas

A vida da família do aposentado X. virou uma rotina de sofrimento há dois meses. Nesse período, ele teve que se mudar de Alcântara para o município de Itaboraí, onde matriculou seu filho Y., de 8 anos, na Escola Municipal Odilon Bernardes, no bairro Marambaia. Lá, o menino pretendia cursar o terceiro ano do ensino fundamental.

Desde o primeiro dia de aula, o garoto passou a sofrer bullying, que culminou, na última quinta-feira, com uma acusação de abuso sexual, provocado por três colegas.

Desesperado, X. procurou a Secretaria de Educação para avisar o que estava acontecendo com o filho. Antes, esteve na coordenação da escola para dizer que o menino já havia sido furtado e agredido em outras ocasiões.

? No primeiro dia, roubaram o biscoito dele. No segundo, um lápis. No terceiro, um apontador. E, no quarto, quebraram um frasco que ele havia levado com biscoito ? contou, revoltado, o pai.

Ao procurar representantes da Secretaria de Educação do município, X. ficou mais decepcionado. Ele foi pedir para que trocassem seu filho de escola, mas foi aconselhado a mantê-lo lá porque, segundo a secretaria, o problema deveria ser resolvido entre seu filho e os colegas de classe. Além disso, alegaram que não haveria vaga em outra unidade.

Aconselhado a procurar o Conselho Tutelar da região, foi depois encaminhado para 71ª DP (Itaboraí), onde finalmente alguma providência foi tomada. Na porta da delegacia, mostrando inocência e muito assustado com o que aconteceu, Y. descreveu com detalhes o que aconteceu na sala de aula.

Y. disse que, aproveitando que o professor havia se ausentado para levar um aluno para a coordenação, três colegas começaram a agredi-lo. Depois de morder um de seus braços e jogá-lo ao chão, arriaram sua calça e abusaram sexualmente dele. Ao buscar o filho na escola, o pai foi chamado pela diretoria, que relatou o abuso, mas de novo não tomou providências

Fonte: Extra