Menor é esfaqueado em estacionamento de supermercado durante manifestações

Menor é esfaqueado em estacionamento de supermercado durante manifestações

O supermercado fica localizado em frente ao ponto de concentração dos manifestantes na avenida Frei Serafim

Os bandidos aproveitam o movimento para praticar crimes como furtos, depredação do patrimônio público e privado. Além disso, alguns casos chamam a atenção da Polícia, como a tentativa de homicídio contra um jovem.

O fato aconteceu nesta quarta-feira, dia 26, dentro do estacionamento de um supermercado, localizado na avenida Frei Serafim. Segundo a Polícia, quatro jovens participavam da manifestação em um carro na avenida Frei Serafim. Em um determinado momento aconteceu uma confusão entre eles e alguns manifestantes. Os jovens que estavam no veículo conseguiram entrar no estacionamento de um grande supermercado. Quando os policiais conseguiram entrar constataram que um deles estava esfaqueado. Os policiais prestaram socorro ao jovem e o levaram para o HUT.

Foi registrado também, um acidente próximo à ponte da Frei Serafim, a Juscelino Kubitschek, no sentido Leste-Centro durante a realização das manifestações. O estado do rapaz atropelado é grave e ele foi identificado como Paulo Patrick de 14 anos de idade e atleta de handball.

O fato é que as manifestações em Teresina e em todo o Brasil tem se transformado em uma verdadeira guerra urbana. Algumas cenas foram gravadas e mostram um pequeno grupo que se diferencia dos manifestantes legítimos. Esse número reduzido de pessoas escolhe a violência para protestar com paus, pedras e ateando fogo em objetos. O Palácio de Karkak foi atingido até com foguetes e a Câmara Municipal também seria invadida, mas a polícia evitou a destruição. Mesmo assim, um dos vândalos deixou a marca da violência já que uma das vidradas foi furada com o golpe de uma pedra bastante grande.

Os teresinenses apóiam o movimento legal e querem punição para os que desejam descaracterizar as manifestações. ?Qualquer ato de vandalismo é sempre reprovado. O tom das manifestações é muito válido, afinal a sociedade acordou e está mostrando que o povo tem voz, tem vez. Mas é necessário que se estabeleça uma liderança para que se tenha com quem dialogar diretamente como governo, aqueles que estão lá no poder eleitos por nós?, pontua um jovem entrevistado pelo jornalista Pedro Borges.

?A primeira obrigação da polícia é fornecer segurança à todos aqueles que querem se manifestar. A segunda obrigação da polícia é oferecer segurança ao patrimônio público e privado. E a terceira é proteger população que não deseja participar das manifestações?, garante Robert Rios, Secretário de Segurança.

CONFIRA A MATÉRIA COMPLETA NA MATÉRIA DE PEDRO BORGES:

?
Fonte: Marcilany Rodrigues