Mesmo se confessar que matou Eliza, Bruno deve passar pelo menos 14 anos na prisão

Mesmo se confessar que matou Eliza, Bruno deve passar pelo menos 14 anos na prisão

Para isso, ele deve ser condenado a 30 anos de prisão.

A quatro meses da nova data marcada pela Justiça para o júri popular do goleiro Bruno Fernandes, da ex-mulher dele, Dayanne Rodrigues, e do ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, defesa e acusação já se preparam para a nova disputa, que poderá terminar com uma condenação de cerca de 30 anos para o jogador, mesmo caso ele confesse o crime.

Se condenado pelo crime de homicídio triplamente qualificado, Bruno pega ao menos 20 anos, pena base fixada para Macarrão ? que foi diminuída por conta da confissão. Como a vítima é mãe do filho do jogador, a pena do goleiro pode se aproximar da máxima para este crime, que é de 30 anos. Bruno ainda responde por sequestro e cárcere privado dos dois [oito anos] e ocultação de cadáver [três anos].

O promotor responsável pelo caso, Henry Wagner Vasconcelos, afirma que, caso o jogador confesse que mandou matar Eliza, a fala dele seria "oportunista". Para Vasconcelos, o oportunismo viria do fato de que Luiz Henrique Romão, o Macarrão, já confessou o crime do qual o goleiro seria o mandante. Dessa forma, a possível diminuição da pena final pela confissão seria menor do que a de Macarrão.

? Não acredito que ele [Bruno] venha a confessar. Se ele vier a confessar, certo. Mas a diminuição [da pena] vai ser muito mais branda que a do Macarrão. Viria numa questão mais oportunista. Essa [confissão] do Macarrão já abriu a evidência em torno do que aconteceu.

Conforme o promotor, para que a diminuição da pena aconteça, será necessária uma avaliação do "quanto isso [a confissão] contribuiu para o processo", de toda forma, Vasconcelos afirma que o pedido da promotoria será para que Bruno seja condenado.

? [Vou pedir] uma pena expressiva, com certeza.

Defesa

Tiago Lenoir, advogado escolhido para representar o goleiro com o júri já em andamento, diz que a defesa não vai adiantar a tese que irá ser trabalhada no júri do goleiro, marcado para o dia 4 de março de 2013, também em Contagem, na Grande BH. Apesar disso, o defensor afirma que não está descartada a possibilidade de uma suposta confissão de Bruno.

? Existe a possibilidade de confissão? É uma hipótese jurídica.

Apesar disso, Lenoir afirma que a confissão não é algo considerado em primeiro momento pelos defensores do goleiro.

? A defesa do Bruno não pensa na confissão. A princípio não, mas é uma tese possível.

De toda forma, segundo o advogado, caso Bruno optasse por confessar o crime, os atenuantes para a diminuição de pena "estão no código penal".

Condenação

Luiz Henrique Romão, o Macarrão, foi condenado a 15 anos de prisão na última sexta-feira (23) por homicídio triplamente qualificado e sequestro de Eliza Samudio. No mesmo dia, a ex-amante do goleiro Bruno, Fernanda Castro Gomes, acusada de sequestro e cárcere privado da jovem e do filho dela, Bruninho, foi condenada pelos dois crimes e recebeu a pena total de cinco anos, em regime aberto.

Macarrão respondia pelos crimes de homicídio triplamente qualificado, sequestro, cárcere privado e ocultação de cadáver. Pelo primeiro, ele recebeu a sentença de 20 anos, tendo a pena reduzida para 12 anos, em razões de atenuantes. As penas por sequestro e cárcere privado equivalem a três anos. Macarrão foi inocentado da ocultação de cadáver.

A condenação aconteceu após a decisão da maioria dos jurados. A sentença foi lida pela juíza, Marixa Fabiane Lopes, pouco depois da meia- noite após uma hora e 40 minutos de deliberação do júri no quinto dia de julgamento.

Fonte: R7, www.r7.com