‘Minha vida virou um inferno",diz amiga de Eliza Samudio

‘Minha vida virou um inferno",diz amiga de Eliza Samudio

Depoimento dela à Justiça foi adiado pela segunda vez nesta quarta

A escrevente de 35 anos que morou com Eliza Samudio em São Paulo no ano passado deixou, na tarde desta quarta-feira (10), o Fórum de Santos, no litoral paulista, com um lenço na cabeça para tentar esconder o rosto. Ela diz ter medo de aparecer. ?Minha vida virou um inferno?, afirmou a moça, intimada a dar seu depoimento sobre o caso ao juiz Antônio Álvaro Castello, da Vara do Júri. Pela segunda vez, a audiência foi adiada e só deve ocorrer em dezembro.

Abordamos a escrevente na saída do fórum. Apesar de afirmar não estar sofrendo ameaças, ela diz que não quer dar o nome ou mostrar o rosto para a imprensa. ?Estou tentando retomar minha rotina, não consigo emprego porque sabem quem eu sou. Moro em uma cidade pequena?, relata ela, que vive com os pais na cidade litorânea. ?Já até perguntaram se eu fiz filme pornô.? Quando era modelo, Eliza fez filmes desse gênero.

?Eliza era minha amiga pessoal, eu ia ser madrinha do filho dela, mas não deu tempo?, conta a escrevente. Eliza, nascida em Foz do Iguaçu, teve um caso com o goleiro Bruno, que jogava no Flamengo e agora está preso por suspeita de participação no desaparecimento da ex-amante. Ela não é vista desde junho. Para a polícia, Eliza foi assassinada.

Proteção à testemunha

O advogado da escrevente, Marcelo Amaral, conta que o primeiro depoimento dela estava marcado para 3 de novembro. ?A defesa do Bruno pediu que passassem para o dia 10 e agora só deve ser em 6 de dezembro.? O caso corre em Minas Gerais, onde Bruno tem um sítio, para onde Eliza pode ter sido levada antes de desaparecer. Amaral pretende incluir o nome de sua cliente no Programa de Proteção à Testemunha. ?Quero suprimir o nome dela de todos os processos e restringir o uso dele nos meios de comunicação. Ela não tem interesse em aparecer e se promover.?

Questionada sobre o dirá ao juiz, a moça respondeu: ?Vou dizer o que já disse no meu depoimento à polícia?. Em seguida, fala da ex-amante de Bruno. ?A Eliza era uma mãe maravilhosa, só queria o bem do filho dela. Jamais deixaria a criança por dinheiro algum.? As duas se conheceram em outubro, quando dividiram um apartamento em São Paulo com mais uma amiga. ?Eu estava procurando emprego.?

A escrevente lembra que esteve com Eliza pela última vez em abril, quando ela visitou a família da moça em Santos. ?Ela ficou duas semanas lá em casa. Meu pai era como se fosse o avô do filho dela. Depois ela foi para o Rio e aconteceu isso tudo.? O menino nasceu em fevereiro.

Para a escrevente, a imagem que fica da ex-amante de Bruno é de uma ?menina carente, que não tinha apoio da família.? Sobre Bruno, a paulista não tece comentários. ?Eu não tinha contato com ele. Só sei do que a Eliza me contava?, afirma.

Fonte: g1, www.g1.com.br