MP denuncia Mizael por assassinato de advogada

MP denuncia Mizael por assassinato de advogada

Denúncia foi apresentada na tarde desta segunda-feira (2)

O promotor de Justiça Rodrigo Merli Antunes informou, durante coletiva na tarde desta segunda-feira (2), que o Ministério Público de São Paulo ofereceu denúncia contra o ex-PM Mizael Bispo e o vigia de um posto de gasolina em Guarulhos, Evandro Bezerra da Silva, pelo assassinato da advogada Mércia Nakashima.

No documento, o promotor denuncia Mizael Bispo, ex-namorado de Mércia, por homicídio triplamente qualificado (motivo torpe, meio cruel e recurso que impossibilitou a defesa da vítima) e por ocultação de cadáver. Já o vigia Evandro Bezerra da Silva será denunciado por homicídio duplamente qualificado (meio cruel e recurso que impossibilitou a defesa da vítima).

Se condenado, Mizael Bispo poderá pegar pena de 16 a 20 anos, de acordo com a previsão feita pelo promotor. Antunes estima que Silva pode ficar até 19 anos preso.

O promotor endossou ainda o pedido de prisão preventiva feito pela polícia para Mizael Bispo e também para Silva. Evandro já cumpre prisão temporária. Antunes argumenta que o ex-namorado de Eliza não colaborou com a polícia desde o início das investigações e que ele representa perigo para a sociedade. Segundo o promotor, Bispo usa seus conhecimentos como policial militar para agir como um criminoso.

- A personalidade de Mizael está voltada para o crime. Ele já tem um passado de agressões principalmente com mulheres.

A denúncia foi apresentada ao juiz Leandro Bittencourt Cano, que tem cinco dias para decidir se aceita ou não a denúncia. O promotor já disse que, caso o juiz não aceite, ele irá recorrer da decisão.

Além da denúncia e dos pedidos de prisão, a promotoria solicitou à Justiça que sejam colhidas novas provas do crime. O promotor pede que seja iniciado um procedimento investigativo para o irmão de Bispo, Aldair Bispo de Souza, e que seja expedido um ofício para a operadora Nextel para ter acesso à caixa postal do chip que foi retirado do celular de de Mércia.

Apesar de ter pedido novos procedimentos, Antunes disse ter certeza de que Bispo e Silva são os autores do crime.

O advogado de Mizael Bispo, Samir Haddad, diz que vai aguardar o parecer do juiz, mas espera que ele siga à risca a lei e entenda que a denúncia tenha que ser analisada pela comarca de Nazaré Paulista, cidade onde o corpo da advogada foi encontrado. Ele ainda disse que Mizael Bispo se entregará à polícia caso a Justiça aceite o pedido de prisão temporária contra o ex-namorado de Mércia, mesmo ?considerando o trabalho do Ministério Público lamentável?. Haddad pode ainda recorrer à decisão.

O promotor rebateu à afirmação de Haddad dizendo a lei determina que o tribunal do júri determina "que o processo deve ficar no local onde melhor se pode colher as provas.

- Todos os envolvidos na investigação são de Guarulhos e as provas foram colhidas nesta cidade. Não faz o menor sentido o crime ser julgado em Nazaré Paulista. A defesa quer encontrar meios de dificultar o julgamento, pois uma testemunha de Guarulhos não é obrigada a comparecer ao júri se ele estiver acontecendo em outra cidade.

A advogada desapareceu no dia 23 de maio e seu corpo foi encontrado em uma represa de Nazaré Paulista, no interior de São Paulo, no dia 11 de junho. Um dia antes, os bombeiros haviam encontrado o carro de Mércia no local.

Na última sexta-feira (30), Merli e o advogado da família da vítima, Alexandre de Sá Domingues, listaram 16 pessoas que podem ser testemunhas da acusação no processo do assassinato da advogada. Entre elas estão Márcio e Cláudia Nakashima, ambos irmãos de Mércia; um funcionário do posto de combustível que viu Bispo conversando com o vigia; e o pescador que diz ter presenciado o momento em que o carro da advogada foi jogado na represa de Nazaré Paulista, no interior de São Paulo.

O inquérito foi concluído por Antônio de Olim, delegado responsável pelo caso, na última terça-feira (27). O documento tem cerca de 1.600 páginas e inclui um mapa cartográfico com a movimentação dos suspeitos no dia do crime. Esse trabalho só foi possível com a quebra do sigilo telefônico de Bispo e Silva, que mostrou onde eles estavam quando receberam ou fizeram ligações, e também com dados do rastreador do veículo do ex-namorado de Mércia.

Junto com o inquérito, o delegado já anexou um pedido de prisão preventiva para os dois suspeitos. Na semana passada, o promotor já adiantou que deve concordar com a solicitação. Se acatado o pedido, Bispo e Silva devem ficar presos até o julgamento. Atualmente, somente o vigia está preso no 1º Distrito Policial de Guarulhos.

Fonte: R7, www.r7.com