Mochila de suspeito de matar PMs tinha faca e revólver, diz delegado

A polícia não disponibilizou imagens do conteúdo encontrado na mochila.

Uma faca de cozinha, um revólver calibre 32, mais de R$ 100, lençol e roupas foram encontrados na mochila do adolescente Marcelo Eduardo Bovo Pesseghini, 13 anos, de acordo com o delegado Itagiba Vieira Franco, do DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa).

O garoto é considerado, pela polícia, o único suspeito pelas mortes do pai, o sargento da Rota Luís Marcelo Pesseghini; da mãe, a policial militar Andréia Bovo Pesseghini; da avó, Benedita Oliveira Bovo; e da tia-avó, Bernadete Oliveira da Silva.

A polícia não disponibilizou imagens do conteúdo encontrado na mochila.

Os corpos foram encontrados na segunda-feira (5), na casa dos PMs, na Brasilândia, zona oeste de São Paulo, e no terreno ao lado, onde morava a avó. O adolescente também foi encontrado morto e a polícia acredita que ele tenha se suicidado após cometer os crimes. Todos foram atingidos com um único tiro na cabeça, dado por uma arma .40.

A mochila foi encontrada perto da porta de entrada da casa e também tinha o material escolar de Marcelo. A arma de calibre 32 pertencia à mãe dele, Andréia.

Versão da polícia

A versão sustentada pelos policiais é de que, na sala da casa, o adolescente atirou no pai e na mãe. Em seguida, na outra casa, ele também atirou na avó e na tia-avó. Para a Polícia Civil, a única pessoa que poderia não estar dormindo na hora do crime era a mãe, encontrada de joelhos, ao lado do colchão onde o marido estava.

Logo após os assassinatos, por volta de 1h, Marcelo teria pego o carro de Andreia e dirigido até a rua da escola onde estudava, a cerca de 5 km de casa. Ele teria ficado dentro do veículo até 6h20, quando foi flagrado por uma câmera de segurança saindo do carro e caminhando sozinho, com uma mochila, até a escola.

Professoras e colegas afirmam que ele foi à aula normalmente naquele dia. O rapaz voltou para casa de carona com um amigo e teria se matado em seguida, também com um tiro na cabeça, na sala onde os pais foram mortos.

A investigação, porém, está cercada de dúvidas e mistérios.

Uma vizinha disse ter visto duas pessoas ? entre elas, um policial militar fardado ? pularem o muro da casa do casal de PMs, por volta das 12h. Elas teriam dito que que todos estavam mortos. Porém, a polícia só atendeu a ocorrência no fim do dia. Ela irá depor na próxima semana, segundo o delegado.

Família contesta

A família dos PMs não acredita na versão apresentada pela polícia. Um parente, que não quis ser identificado, disse que o menino seria ?incapaz? de cometer os crimes. ? Uma criança doce, superinteligente, incapaz de fazer mal a qualquer ser humano.


Mochila de suspeito de matar PMs tinha faca e revólver, diz delegado

Fonte: r7