Moradores do Pirajá vivem aterrorizados com assaltos

Moradores do Pirajá vivem aterrorizados com assaltos

Moradores do Pirajá vivem aterrorizados com onda de assaltos

Durante um assalto a um comércio um dos três criminosos desferiu um tiro em um dos freezers do estabelecimento e, por pouco, não atingiu um dos funcionários. A bala cravejada no freezer ficou de recordação. Segundo a proprietária do estabelecimento, essa é a nona vez que ela é vítima de assalto e todos aconteceram com o uso de arma de fogo.

?Não adianta, a gente já está cansado do dar parte e tudo, mas a polícia não resolve nada. Dessa vez, depois que assaltaram ainda saíram e atiraram no meu funcionário. Eu vivo nervosa só por conta desses assaltos?, conta a comerciante.

Essa é a situação do bairro Pirajá, Zona Norte de Teresina. Uma onda de assaltos está aterrorizando a população do bairro que registra, quase todos os dias crimes. Os comércios da região, mesmo cercado de grades são roubados e não importa a hora, como no caso de um que foi assaltado às 8h da manhã e levaram vários produtos e R$ 400 reais do caixa.

?A gente vive constantemente preso e trabalhando nessas condições?, declara outro comerciante do Pirajá que foi vítima recente de assalto.

A população denuncia que a situação do Pirajá se complicou quando traficantes instalaram várias bocas de fumo na região. Eles compram casas e alugam até mesmo quitinetes. Segundo um empresário entrevistado pelo repórter Ricardo Moura Fé, eles são membros de uma gangue do Bairro São Joaquim.

?Eles vieram do inferninho lá do São Joaquim e, inclusive, nesse último assalto que teve aqui a polícia trouxe um álbum de fotos de bandidos para que fizéssemos o reconhecimento e o que reconhecemos os policiais afirmaram que eles já prenderam esse bandido dez vezes. Então, acho que não é nem culpa da polícia, porque ela tá fazendo o trabalho dela, a justiça é que solta?, conta indignado.

CONFIRA A MATÉRIA DE RICARDO MOURA FÉ NO VÍDEO:

Fonte: Marcilany Rodrigues