Morte de atriz baleada é reconstituída pela polícia em SP

Homem simula ação de assaltantes no dia da morte da atriz

A Polícia Civil de Campinas (SP) faz nesta terça feira a reconstituição da morte da atriz e cabeleireira Andréia Cristina Pereira, 35 anos, atingida por uma bala perdida na última sexta feira. O tiro perfurou a tampa do porta-malas do carro em que estava e atingiu o seu peito durante um assalto em frente ao 1º Cartório de Notas, na avenida Jesuíno Marcondes Machado, no bairro Nova Campinas.

A mulher estava no banco de passageiro do carro Fiat Mille Fire conduzido por um amigo quando passava pela via. Nesta terça-feira, a policia chamou testemunhas da ocorrência, isolou um quarteirão e as duas faixas da avenida. O motorista que conduzia o veiculo e um policial militar que é suspeito de ter usado a arma da corporação e mais 20 pessoas participam da reconstituição, que começou de manhã e segue até a tarde.

Segundo o delegado José Roberto Rocha Soares, do 13º Distrito Policial, além dos laudos da Polícia Técnica Científica, serão analisadas as imagens do circuito de câmeras da avenida que podem ter captado a ação.



De acordo com testemunhas, o disparo ocorreu durante um assalto a um casal que havia ido ao cartório registrar um imóvel. Uma senhora teria acabado de sacar R$ 1,5 mil. O policial militar, que estava à paisana e seguiria para o cartório, teria notado os dois suspeitos sacado sua arma. O nome do PM não foi divulgado. Ninguém foi preso, mas uma arma calibre 380 foi encontrada caída em um gramado. De acordo com o delegado Rocha Soares, ainda é cedo para conclusões.

Andréia era atriz há 17 anos da companhia de teatro Grupo Téspis. Ela voltava de uma apresentação em uma escola municipal de Hortolândia em direção a um salão de beleza na Nova Campinas, onde trabalhava. Seu corpo foi sepultado no cemitério de Aléias no sábado.

Fonte: Terra, www.terra.com.br