Motociclistas e mototaxistas vivem clima de insegurança em Timon devido a assaltos

Motociclistas e mototaxistas vivem clima de insegurança em Timon devido a assaltos

Em 2011 foram roubadas 130 motos. Situação exige cuidados específicos.

O roubo de motocicletas tem assustado os timonenses nos últimos anos. Os dados referentes ao ano passado são alarmantes. De acordo com a Polícia Militar do município, 2011 somou 130 veículos roubados, uma média 11 motos a cada mês.

Lourival Lima dos Santos foi vítima desses casos pela primeira vez , quando teve sua moto roubada há dois anos. Ele conta que havia deixado o veículo em frente a uma casa de shows, mas quando voltou já não estava mais lá. ?A moto era de um colega meu, tinha ainda umas 15 prestações a pagar e eu tive que arcar com o prejuízo. Até hoje nunca soube do paradeiro da moto?, afirma ele, inconformado.

Situações como essas são comuns na cidade. E os mototaxistas são os que andam com mais medo. A necessidade de levar pessoas desconhecidas na garupa torna o ofício um dos mais perigosos em Timon.

Jacinto das Chagas trabalha na área há três anos, mas por reconhecer os riscos da profissão prefere não arriscar.

Para isso, ele toma algumas medidas simples, mas que ele o ajudam a não estar entre as vítimas.

?Quando uma pessoa chega aqui, a gente fica logo desconfiado e se for suspeito nem pego a corrida. E também evito pegar retornos à noite. Quando vou deixar alguém em um lugar e quando volto, se aparecer alguém pedindo para parar no meio do percurso de volta, sigo direto, não paro?, explica ele, que completa: ?O que tiver que fazer para evitar ser roubado eu faço?.

O mototaxista admite que faz isso por medo, mas ele justifica: ?Eu conheço um bocado de gente que teve moto roubada aqui na cidade. Está difícil conviver com isso, o tanto de roubo de moto e nada resolvido?, conta Jacinto.

Fonte: Virgínia Santos