Advogado: "motorista atropelou ciclistas para defesa"

Suspeito deve prestar depoimento nesta segunda (28), em Porto Alegre.

O motorista suspeito de atropelar dezenas de ciclistas, em Porto Alegre, na noite de sexta-feira (25), deve se apresentar a policiais da Delegacia de Delitos de Trânsito nesta segunda-feira (28). Em depoimento, segundo seu advogado, ele irá afirmar que agiu em legítima defesa, para garantir sua integridade física e de seu filho, de 15 anos.

"Ele afirma que os ciclistas quebraram o vidro do seu carro e começaram a chutar o carro, do lado em que estava seu filho, de 15 anos. Ele agiu em legítima defesa, para garantir sua integridade física e de seu filho. Ele achou que seria linchado e saiu para se salvar", diz ao G1 o advogado Luís Fernando Coimbra Albino.

Segundo o delegado Gilberto Almeida Montenegro, o suspeito não será preso, mas pode responder por tentativa de homicídio. "Queremos ouvir o que ele tem a dizer. Já colhemos o depoimento de ciclistas e agora queremos saber a versão dele sobre os fatos. Caso seja comprovada sua responsabilidade, ele poderá responder por tentativa de homicídio. Mas temos 30 dias para a conclusão do inquérito e ele não será preso hoje porque o prazo do flagrante já se esgotou", explica Montenegro.

Nesta segunda-feira, com a expectativa da apresentação do suspeito, a Delegacia de Delitos de Trânsito amanheceu cercada de ciclistas, segundo o delegado. ?O advogado me ligou há pouco e eles estão receosos, mas garanti a eles que haverá todo o tipo de proteção?, afirma.

O atropelamento ocorreu na sexta-feira, na esquina das ruas José do Patrocínio e Luiz Afonso, em Porto Alegre. Nove pessoas foram levadas ao Hospital de Pronto Socorro da cidade. Todas foram liberadas sem ferimentos graves, segundo o hospital. O motorista fugiu do local sem prestar socorro. Inconformados, os ciclistas chegaram a fechar a avenida.

Mais de 100 ciclistas participavam do evento promovido pelo movimento Massa Crítica quando um carro entrou no meio do comboio derrubando dezenas de participantes. Para o grupo, que publicou em seu blog vídeos com depoimento dos ciclistas e imagens das bicicletas destruídas, o atropelamento foi considerado um crime e não um acidente.

Fonte: g1, www.g1.com.br