Motoristas cobravam bandeirada mais cara em corridas comuns.

Fraude atingiu 1,8 milhão de corridas; turistas eram principal alvo.

Milhares de taxistas de Nova York desviaram mais de US$ 8 milhões aplicando indevidamente tarifas mais altas aos clientes que levaram durante os últimos dois anos, calcula a prefeitura da cidade.

O golpe veio de dentro de um dos símbolos da cidade: os táxis amarelos de Nova York. Um truque antigo que se repete mundo afora: cobrar em corridas comuns a bandeirada mais cara que, na cidade, só pode ser usada em viagens para o subúrbio.

Os fiscais descobriram que, dos 48.300 motoristas licenciados, 35.500 cometeram a infração pelo menos uma vez. Destes, 3 mil taxistas aplicaram o golpe mais de cem vezes.

Segundo um motorista, os turistas são o alvo preferido. A prefeitura de Nova York calcula que pelo menos 1,8 milhão corridas tenham sido sobretaxadas pelos motoristas, num golpe que chega a US$ 8 milhões.

A comissão responsável pela investigação afirmou, no entanto, que, embora a soma seja um número chamativo, a fraude aconteceu apenas em 0,5% das 361 milhões de viagens realizadas nos 26 meses de avaliação.

A trambicagem só foi descoberta graças a um equipamento que registra por onde o táxi passa e manda todas as informações para a prefeitura. E também graças a um nova-iorquino que percebeu o truque e denunciou o esquema.

O anestesista Mitchell Lee foi parar na capa do ?New York Post? como um herói da cidade. Ele percebeu que um motorista cobrava US$ 7 dólares por uma corrida que sempre custou US$ 5.

O golpe foi confirmado quando os fiscais verificaram que o carro não passou pelo subúrbio. O taxista perdeu o direito de trabalhar e será processado.

E o mesmo pode acontecer com centenas de outros motoristas quando terminarem as investigações.

Para lutar contra a aplicação de tarifas abusivas, a comissão assegurou que em duas semanas instalará um sistema em todos os táxis que emitirá uma mensagem na tela de televisão que há na parte traseira dos veículos quando houver mudança manual de tarifa.

Agora, o prefeito quer tentar achar um meio de devolver o dinheiro desviado dos cidadãos.

Fonte: g1, www.g1.com.br