Motoristas do racha que matou lutador têm prisão decretada

Lutador usava o telefone público na calçada quando foi atropelado

Após negar o pedido de habeas-corpus, o juiz Sérgio Araújo Gomes, da 2ª Vara do Juri, decretou a prisão preventiva por 60 dias aos empresários suspeitos de participar do racha que resultou na morte por atropelamento do lutador e professor de jiu-jitsu Kaio César Muniz Ribeiro, 23 anos, na ultima sexta-feira no bairro Taquaral em Campinas.

O jovem não resistiu aos ferimentos depois de ser atingido pelo Audi A3 conduzido por Adriane Aparecida Pereira Diniz Ignácio de Souza, 42 anos. Ela está presa na Cadeia Pública de Paulínia. No outro carro, um Carraro, estava Fabrício Narciso Rodrigues da Silva, 32 anos, que está no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Campinas. Os dois foram autuados por homicídio doloso (quando há intenção de matar).



A decisão do juiz acompanha parecer do promotor Fernando Viana, do Ministério Público Estadual, que aponta que colocar em liberdade os dois significa um risco à sociedade por causa da prática de atos perigosos. "A libertação dos autuados 72 horas após o ocorrido poderia, em tese, trazer à população, já perplexa com a violência no trânsito, intensa sensação de insegurança e de intranquilidade, o que se deve sempre evitar", informou em nota o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP).

O professor estava na calçada da avenida Júlio Prestes usando o telefone publico por volta da 1h quando o Audi A3 dirigido por Adriane chegou em alta velocidade subiu na calçada, derrubou o equipamento e o atropelou. O carro destruiu o portão de uma empresa de lava-rápido e parou no muro da casa vizinha. Kaio Ribeiro chegou a ser atendido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas não resistiu.

Segundo a polícia, os empresários negam a prática de racha. Após teste de bafômetro, foi constatado que a Adriane ingeriu álcool acima do limite permitido no dia do atropelamento. O empresário fez exame de sangue e o resultado ainda não saiu.

Fonte: Terra, www.terra.com.br