Mototaxistas entram em pé de guerra com ameaças de morte nas ruas da capital

Mototaxistas entram em pé de guerra com ameaças de morte nas ruas da capital

A alegação para justificar a ação é de que apenas os legalizados pagam impostos e taxas, o que não seria justo. Os clandestinos rodam sem recolher

Mototaxistas cadastrados e clandestinos que atuam em Teresina declararam guerra, inclusive com ameaças de morte. Tudo começou quando os que são legalizados começaram a exigir que a Prefeitura de Teresina fiscalizasse e retirasse de circulação os chamados ?mototaxistas piratas?, que não possuem alvará para transportar passageiros.

A alegação para justificar a ação é de que apenas os legalizados pagam impostos e taxas na Prefeitura, o que não seria justo, já que os clandestinos rodam sem pagar os tributos. O caso foi parar na polícia porque legalizados e clandestinos começaram a brigar nas ruas. A disputa por pontos de espera chegou às vias de fato.



?Eles, que estão ilegais querem ter mais direito do que a gente que paga todas as taxas. Eles chegam no ponto da gente e se tiver alguma corrida eles levam. Dizem que a gente não é dono de nada e que eles tem direito de rodar do jeito que a gente também. Já teve até ameaças e eles dizem que vão bater na gente se falarmos alguma coisa?, reclama um mototaxista legalizado.

Em relato feito ao repórter Ricardo Moura Fé, já aconteceram entre as partes até mesmo ameaças de morte. Em Teresina, 2.027 mototaxistas trabalham de forma legal e a Prefeitura está fazendo um levantamento e cadastrar os ilegais, mas há um temor de que o mercado fique ainda mais saturado. No outro lado dessa situação está a população, alvo constante das disputas.

?Mas eu dou preferência para os legalizados porque acho mais seguro. Se não tiver com a moto amarela, com a numeração e o coletinho eu não pego. Pegar piratas é perigoso?, revela a dona de casa que utiliza o serviço de mototaxi para se deslocar.

Fonte: Marcilany Rodrigues