Mulher acusa irmã de ser a suposta mãe da criança abandonada em matagal

A mãe da jovem afirmou que ela já teve depressão após o falecimento de sua filha de 1 ano e 3 meses á algum tempo atrás.

Uma mulher identificada por Antônia Loziana da Luz, de 32 anos procurou neste sábado o policial militar Elias Junior que é lotado na cidade de Campo Maior, mas reside em Castelo do Piauí, para relatar algumas informações a respeito do caso do recém nascido que foi abandonado no fundo de um quintal de uma residência no bairro Mutirão.

Loziana relata ao policial ter suspeitado que sua irmã identificada por Zefinha estivesse grávida a algum tempo e que que supostamente seria a mãe desta criança, pois foi encontrada ao lado da sua residência. Ela solicitou o policial que ele fosse até a residência dela pra conversar, e averiguar se a informação era verídica. O policial foi até a residência e ao questionar sobre a gravidez a mesma afirma que realmente notou a barriga de tamanho suspeito e que após dois dias que a criança foi encontrada ao lado de sua residência, sua barriga teria diminuído. Durante a conversa a mesma se emociona e diz não se lembrar de nada. 

A mãe da jovem afirmou que ela já teve depressão após o falecimento de sua filha de 1 ano e 3 meses á algum tempo atrás.

O policial militar entrou em contato com o Delegado Titular de Castelo do Piauí, Laércio Evangelista, onde o mesmo acionou o Conselho Tutelar e Assistência Social que acompanhou a mulher até o Hospital Local Nilo Lima, onde a mesma passou por dois exames físicos (Abdominal e Vaginal), comprovando que a mesma teve filho recentemente, sendo que o filho mais novo tem três anos. Mais somente um exame de DNA poderá confirma se ela realmente é mãe da criança, ou se ela decidir falar.

Fonte: MaisCastelo